Melbourne!

Sim, Melbourne, palco de tantas emoções na F1 está dando as caras na temporada de 2010. Albert Park, o circuito, é, teoricamente, um lugar muito melhor e com melhores trechos do que o pacato traçado de Bahrein, que foi palco de uma verdadeira procissão há duas semanas. Porém, agora os ares são de renovação e de principalmente (é o que se espera) emoção.

Você que deve estar lendo isto pode pensar: “Melbourne, emocionante?”. Bom, aí fica por sua conta de avaliar a situação, mas pelo menos eu, depois de ver 4 aberturas de temporada neste local fico entusiasmado. A questão é que aqui, é a hora em que as cartas  “de verdade” são mostradas para valer. Vale ressaltar que dificilmente teremos “grandes surpresas” na nossa “caixinha de surpresas”. Digo isso, após refletir um pouco, pois creio que infelizmente 5 curvas emocionantes e algumas modificações aerodinâmicas nos carros não serão os responsáveis por uma corrida fantástica e uma temporada a mil por hora. Então vamos nos preparando para algo na altura do meio morno.

Ah, falando em “mil por hora”, me fez rir muito a mensagem da Globo com relação ao GP da Austrália próximo e sobre Bahrein. Dizia algo como ” A F1 está a mil por hora! depois das grandes emoções e surpresas em Bahrein, vamos ficar ligados no GP da Austrália, domingo…”

Emoções e surpresas no Bahrein? Faça-me o favor… Já basta ter que aturar um Você Sabe Quem, a ter que ouvir isso. Mas bem, ninguém me obriga, confesso.

Continuando este breve post, vamos ao que interessa: A corrida. O que ela demonstrará para nós? Emoção e competividade ou apenas mais um GP no calendário?

O fato de Red Bull e Ferrari estarem travando um belo duelo dentro e fora das pistas, é algo que chama realmente a atenção. Quem se sairá melhor? Finalizando por aqui, tenho a dizer que este artigo é apenas uma prévia da prévia, afinal ainda é terça. Mas muitas novidades vem por aí. Estaremos no clima de Melbourne, com especiais do circuito, pilotos, guia e tudo o que se puder fazer.

Com isso, estão abertos os comentários aqui para palpites, opiniões e mais. Fiquem agora com fotos diretos do Twitter (novidade na barra lateral do blog) da Virgin, com imagens de Albert Park e as reformas por lá. Até mais!

All the freight waiting to be unloaded - on the start/finish straight at Albert Park #f1

Man walking dog on an F1 track. Albert Park is only partially closed to traffic.

35 comentários em “Melbourne!

  1. previa da previa!

    lo que más estoy queriendo ver es si la Mercedes está tan abajo cuanto dicen. no les creo, está bien que son como un equipo nuevo, pero cuando lo BMW compró la Sauber no tardaron mas de dos carreras para recuperar el ritmo y mejorar al equipo.

    mclaren? quien?

    • Boa Pergunta;;
      acontece que tudo isso é pelo favoritismo a Red Bull e Ferrari. Quando McLaren ou Mercedes vencerem, aí a coisa esquenta…

      abraço

      • Pra min a mclaren vai suprender neste fim de semana!!!

  2. Ô Tomas, teve muitas surpresas e emoções no Bahrein sim.

    Surpresas: Lotus terminando a corrida, Barrichello marcando um ponto, Vettel quebrando o carro logo após cruzar a linha.

    Emoções: angústia, fúria, frustração.

    • “Emoções: angústia, fúria, frustração.”.

      Fúria??
      Com que?
      Fustação?
      Bom, aí pode ser, frustação pela corrida chata, pelo 2º lugar de massa, aí sim.

      Fiquei intrigado com a fúria…

  3. Quem já viu uma corrida em Adelaide, nunca pode ficar satisfeito com essa pista de Melburne, nada se compara a pista que até o Senna errou muitas vezes na mesma prova.
    Shumi, errou tão feio, que só mesmo a FIA para permitir que ele ficasse com aquele título e tenho certeza que o Shumi só ficou com aquele título, pois era o primeiro título de um piloto alemão.
    A FIA e a FOCA são as responsáveis por tudo de ruim que tem matado com a F1.

    • Concordo com você Luiz;
      Adelaide era mil vezes melhor, Senna já venceu duas vezes lá e Piquet uma.
      Com relação aquela do Schumi, bem patético.
      O cara foi encima do Damon, sem mais nem menos!
      Hill venceu em 95, a última vez nesse local, já que apartir de 96 é em Melbourne.
      E a história de lá em bem mais frutífera,

      abraço

  4. Fórmula 1
    Os dirigentes da Fórmula 1 precisam fazer muito mais do que apenas ajustar as regras dos pneus ou adotar pit-stops obrigatórios se quiserem tornar as corridas mais emocionantes. Essa é a opinião de Mark Webber, da Red Bull, que acredita que mudanças de larga escala serão necessárias a fim de facilitar as ultrapassagens.

    Após a abertura de temporada com poucas emoções no Bahrain, Webber acredita que a categoria precisa encontrar uma maneira de permitir que os pilotos lutem entre si – algo que acredita ser impossível agora.

    “Acho que podemos ter quantos pit-stops quisermos, mas as pessoas querem ação na pista – assim como os pilotos”, declarou Webber ao site da Autosport antes de sua corrida em casa na Austrália. “Isso é o que estamos tentando resolver há muitos anos, mas se você assistir uma corrida de carros de turismo, não há ultrapassagens em todas as voltas”.

    O que mais me decepcionou no Bahrain é que eu esperava que fosse difícil ultrapassar, mas não houve sequer uma chance de conseguir algo. Foi o maior choque.

    “Quando Jenson (Button) chegou em Michael (Schumacher), pensei que ele poderia ter uma chance, porque tem uma boa vantagem de velocidade nas retas, e Jenson sabe ultrapassar mas não foi fácil. Essa foi a surpresa para mim – não existir sequer uma chance. No passado, você tinha algumas possibilidades ocasionais, mas foi diferente no Bahrain”.

    Webber não acredita que o espetáculo em Melbourne ou na Malásia no próximo fim de semana será muito melhor do que o visto na primeira etapa da temporada. “Acho que será parecido com o Bahrain. Infelizmente, as corridas estão assim. Creio que todos irão parar em um momento semelhante, essa é a maneira mais rápida de fazer as provas”.

    “Na Malásia, um pit-stop é ainda mais demorado, com o pitlane sendo mais longo, então tudo isso significa que você não quer passar muito tempo nos boxes, porque não pode ter um carro leve e jogar tudo fora mudando a estratégia para tentar superar um adversário”.

    “Talvez eu pudesse ter feito algo diferente com Michael no Bahrain, mas você tem menos opções. É igual para todos. Portanto, as pessoas estão encobrindo como fazer as corridas a fim de evitar uma perda de posições, e isso significa que a classificação é bastante importante”.

    Ao ser questionado se teme uma repetição da situação nas etapas restantes da temporada, ele afirmou: “Acho que não vai acontecer em 18 corridas. Acredito que encontraremos maneiras, é uma curva de aprendizado para todos nós”.

    “Todos nós tínhamos uma idéia de como as corridas poderiam ser, mas você nunca sabe ao certo até descobrir como as pessoas realmente farão suas provas. Talvez exista uma opinião diferente neste fim de semana sobre como fazer, podem estar pensando ‘vamos fazer diferente'”.

    O campeão mundial Jenson Button acha que todos os acionistas da Fórmula 1 precisam se reunir e encontrar uma solução para o problema se o fator entretenimento não melhorar nos próximos GPs.

    “A última corrida não foi a mais emocionante do ponto de vista dos fãs, mas acho que podemos melhorar, todos nós precisamos olhar o que aconteceu e não nos preocuparmos demais com isso”, disse ele na Austrália. “Esperamos que esta corrida seja melhor, e depois poderemos analisar esta e a da Malásia, não podemos simplesmente apontar culpados – todos nós temos de trabalhar para melhorar o espetáculo”.

    • ““Acho que podemos ter quantos pit-stops quisermos, mas as pessoas querem ação na pista”

      O que mais poderíamos querer:????

  5. Tomás, você que é muito novo, não deixe de ver esse documentário sobre o Nelson Piquet, na coluna do Flavio Gomes, são cinco o de hoje é o primeiro.

    É o primeiro de cinco de um documentário pouco conhecido sobre Nelson Piquet, gravado no final de 1987, quando ele conquistou seu terceiro tíulo mundial e estava de saída da Williams para a Lotus. É um material precioso. Precioso e muito didático. Ouvir a história de sua carreira contada por ele mesmo me leva a perguntar: por que será que só Ayrton Senna, entre os grandes pilotos brasileiros, conseguiu colar na testa a fama de batalhador obstinado, perseverante, destemido, lutador incomparável? Por que só a ele é atribuída a exclusividade de detentor da garra, do patriotismo, da raça, do orgulho de ser brasileiro? Por que só ele tinha, como escreveu um blogueiro nos comentários, “vontade, sabedoria, talento, arrojo, coragem e amor pelo o esporte”?

    A trajetória de Piquet foi bem mais dura, pode-se dizer. E conta com todos esses ingredientes, que parecem, pela visão de muita gente, privilégio de um único esportista e cidadão em toda a história do país: obstinação, perseverança, destemor, luta, garra, patriotismo, raça, orgulho, vontade, sabedoria, talento, arrojo, coragem, amor pelo esporte. Desde o início, em Brasília, passando pelos autódromos brasileiros a bordo de uma Kombi, e depois na Europa, onde morava dentro de um ônibus e dormia ao lado do carro. Ayrton tinha motorista particular, bons patrocínios, estrutura financeira. As coisas, para ele, foram bem mais fáceis.

    Não quero, aqui, desmerecer nada do que Senna fez, e que veio à tona nos últimos posts sobre seus 50 anos. São histórias diferentes, apenas. Cada um tem a sua. Mas fico imaginando se essa, de Piquet, fosse contada por Ayrton. O que Nelson fala sorrindo, Senna, possivelmente — por seu jeito, personalidade, estilo pessoal —, carregaria com tons épicos. E não há nada de épico ou sobrenatural em ser piloto de corridas. É esse o recado que Piquet passa, com seu jeito quase simplório de contar episódios de uma vida muito rica, difícil, cheia de obstáculos.

    A vida de cada um é rica. Seja a de um piloto, a de um bombeiro, de um motoboy, de uma atendente de telemarketing. Cada um de nós escreve sua própria epopeia quando nasce. E não há epopeias melhores que as outras. Há, apenas, histórias diferentes.

    • Grande Luiz Sergio !
      Depois disso , calo-me por um bom tempo talves , para que eu possa ter a ” fama ” de um “entendista ” do assunto .
      Tudo que você acaba de falar Luiz Sergio , digo com todas as letras : É a verdade !
      Sabemos muito bem que a verdade não pode ser medida , acumulada , até mesmo encontrada , pois essa tal de verdade está dentro de nós , portanto , cada um de nós é a verdade .
      Mas a história do Piquet , todos , com a mínima consciência intelectual da verdade , tem como por obrigação o dever de aceitar e assumir como a mais legítima das verdades !
      Tudo foi extremamente difícil pra esse esplendido piloto , tudo !
      Até o seu início , pois lutou contra sua própria família para iniciar no esporte , tanto que corria com o nome de Piket .
      Luiz Sergio , o teu comentário foi simplesmente primoroso !
      Depois disso ,não tenho outra alternativa senão esta : calar-me .

      • Absolutamente ótimo, obrigado Luiz e Marco, vocês são essenciais em opinião aqui. Assunto interessante lançado, nada a ver com o post, mas muito melhor de se falar!

        Piket>>>>
        e esse não foi o único nome “falso” que ele usou,
        vou dar uma checada no meu livro e posto depois.

        abraços

      • ” uma época que para se ler alguma coisa séria era na revista Auto Esporte”
        por isso entre outras coisas agradeço por ser da década 2000!
        kkk, mas aqueles tempos eram diferentes…
        meu pai sabe bem,rsrsrs

        abraço!

    • Marco, o que está escrito é a crônica do Flavio Gomes, eu não sou bom na escrita, mais eu concordo em tudo o que está escrito, vejo que muitos torcedores se preocupam com os números, hoje quando se fala da Mclaren, é a grande Mclaren, Emerson quando foi para essa equipe ela era uma equipe que não tinha títulos e o primeiro foi com o Fittipaldi, o segundo título do Nelson Piquet, foi o primeiro título da geração turbo e olha, a Renault estava tentando esse título bem antes, foi a capacidade do Piquet que deu o salda no motor BMW, entrar e acelerar´, com outro piloto fazendo a regulagem fina é fácil que o diga o Mansel na Williams e o próprio Hamilton no seu inicio na Mclaren, Nelson Puiquet e o Fernando Alonso sofreram pois essas regulagem mais elaborada são as suas melhores qualidades, passando para o companheiro de equipe os carros já regulados, não estou escrevendo para gerar polêmica e sim para falar dessas qualidades de alguns pilotos, Emerson geralmente nos treinos, ele se preocupava em deixar o carro regulado para a corrida, com isso geralmente ele largava em quarto ou quinto, mais na corrida era difícil os pilotos que estavam na frente, conseguirem segurarem as posições.

      • ” não estou escrevendo para gerar polêmica “. Fica tranqüilo Luiz, entendo.
        Você não é do tipo que escreve palhaçada para botar fogo. Isso é muito bom,uma opinião bem fundada é tudo.
        Concordo com algumas coisas, outras não, mas num geral, parabéns!

      • rsrsrsrrs.
        Boa noite Grande Luiz Sergio .
        Como vi que não tinha aspas… mas de qualquer maneira , o que você postou do Flavio aqui acredito que foi de muita importância .
        Também acredito que as pessoas olham somente para as estatísticas , como grande parte da imprensa também .
        Jackie Stewart é que dizia : ” quando o Emerson está atrás para nos passar , ele passa mesmo “.
        Valeu e, grande abraço .

      • “Jackie Stewart é que dizia : ” quando o Emerson está atrás para nos passar , ele passa mesmo “.”

        verdade..

    • Concordo com você mais uma vez Luiz.
      Vou acompanhar os vídeos lá no blog do Flavio Gomes, sempre passo..
      A opinião foi sincera, eu tenho um livro sobre Piquet de 1987, publicado em janeiro, ou seja, ele ainda era bi.
      Confesso que me surpreendeu a vida dele, o seu empenho e o seu conhecimento.
      O caminho até a Europa foi difícil, e acho que o que estragou a sua reputação, digamos, foi dizer que Senna era gay. Era terrível, eles se trocavam xingamentos sempre, até Ayrton entrar na justiça..
      E outra coisa, Senna era “do povo”, a Globo adorava ele e rendeu milhões para toda a sociedade por trás disso. Senna pegava a bandeira do Brasil e agitava, ficou imortalizado com isso.
      Senna era da população, ficava com as atrizes do momento e tinha negócios de caridade.

      Já Piquet era reservado, totalmente diferente, e acho que Piquet sentiu raiva de Senna, de ver alguem vencendo tanto logo após a sua saída.
      É apenas uma opinião, mas é o que eu acho.
      Senna: do povo
      Piquet: do contra.

      abraços e que venham as alfinetadas
      😀

      • Tomás, sou de uma época que para se ler alguma coisa séria era na revista Auto Esporte, nos jornais diários, chegava na segunda feira e sobre corridas, vinha que o brasileiro Chico Serra tinha chegado na segunda ou terceira posição, mais ou menos um mês depois na revista vinha que quem venceu aquela prova era outro brasileiro o Nelson Piquet.
        Hoje é fácil acompanhar qualquer coisa na internet.

  6. Concordo com o Luiz…..gostava de Adelaide…
    MAs melbourne é um bom traçado…melhor q o de Bahren…..
    Acho q pode nos dar uma corrida mais animadinha……mas cmop o Tomas disse…n um espetáculo…

    Acho q a Ferrari poderá se sair melhor do que a Red Bull no decorrer da corrida,….E torço para Felipe, mesmo ele n tendo um bom retrospecto por lá….
    O brasileiro precisa MUITO mostrar uma reação p equilibrar a disputa interna na equipe

    • ‘MAs melbourne é um bom traçado…melhor q o de Bahren…..”.
      Sem dúvida Gabriel, por isso não entendo (na verdade entendo, mas enfim) porque a FIA iniciou o campeonato no Bahrein.
      Pode acreditar, se os árabes não colocarem mais grana no bolso dela, teremos austrália abrindo em 2011.
      Ou Coréia do Sul..
      >>>>>>>

      abraço.

  7. O Gabriel disse tudo, só troco uma coisinha
    Ao invés de Felipe massa, coloco Barrichello rsrsrs

    Abrçs…

  8. Acho que teremos de esperar ainda, pois depois de toda a expectativa criada em torno de Bahrein e depois ver que foi um verdadeiro fiasco, ainda temos de esperar pra ver se vai se assim pro resto do Campeonato ou se foi apenas Bahrein, acredito que tenha sido Barhein que na minha opinião sempre foi um gp meio chato, Australia é Australia então acho que vai melhorar sim.

    • Lucas, isso não acontecerá novamente..
      Pelo menos em Austrália, Malásia, Canadá, Bélgica, Itália, Monza, Brasil..
      que são circuitos bons.
      já em Abu Dhabi, Espanha, coreia, a chatice será ainda maior..
      espero que não, mas é difícil.

      abraço

  9. É que é assim.
    O clima para se correr na Austrália é melhor, o povo que vai à pista é realmente apaixonado pelo esporte.
    O circuito é dentro de um parque (Albert park) e só tem corridas de F1, durante o resto do ano só carros comuns de passeio andam alí.

    Melborne foi desenhada respeitando a topografia do lugar, é plano, mas suas curvas não são artificiais e o asfalto não é tão abrasivo, o que faz com que os carros deslizem um pouco mais nas curvas.

    Melborne é um espetáculo à parte, ainda que a corrida seja ruim, será milhões de furos acima da corrida do deserto. Até porque pior não dá pra ser.

    • Ron;

      todas as suas afirmações estão certas, mais uma vez.
      Pena que na maioria das vezes o espetáculo é por causa das batidas geradas pela falta de área de escape, ultrapassagens não são tão fáceis, mas acontece sim.

      abraço

  10. Bom Tomáz..
    Olhando a foto do seu post,acabei dando risada,porque eu assisti a abetura dA TEMPORADA PASSADA e lembrei que o rubinho não largou,só depois que ele conseguiu sair….Coisa de Rubiho mesmo.srsrs
    Bom tomáz,quero lhe fazer uma resalva,acho meio chato esta estória que muita gente fala do Galvão Bueno da globo e tal…
    Isso me soa meio que Maria vai com as outras sabe,pois em qualquer lugar é assim…
    Na inglaterra o Foco fica em cima de seus pilotos…
    Na Alemanha a audiencia dobrou com a volrta do Schumy
    Na espanha a imprensa é tão nacionalista quanto a nossa…
    Pô acho que as vezes as pessoas exageram em meter o pau no GB RL …
    Não vejo nada demais em dar palpites e opiniões,afinal nós também somos torcedores comentaristas você porexemplo tem 13 anos vejo que é um talento na sua idade me surpreende a cada post,mas não viu a metade de coisas que esses caras ja viram,assim como outros blogueiros que vejo poraí…
    Temos que agradecer por ainda termos a f1 tão popularizada e em canal aberto,poiis não vejo profissional melhor no Brasil para narrrar corridas Vide Tel Josè,Luciano Do Vale,Maurício Torres da record??Nivaldo prieto…
    Francamente…

    • Mayko;
      “você por exemplo tem 13 anos vejo que é um talento na sua idade me surpreende a cada post”
      Obrigado, valeu mesmo.

      Com relação as opiniões sobre Galvão, são apenas opiniões, porque acho que há profissionais muito melhores do que eles.
      Claro, as minhas experiência são 1% das que ele tem, mas é o que eu acho.

      Abraço e bom o seu comentário!

  11. O G.P.Australia é sempre uma grande lutaria, mas se tivesse de apostar em alguem seria no Vettel.

    Grande Abraço!

    Kimi_Cris

  12. olha para largada, salvo algum infortunio (quebra do carro, chuva, outra coisa improvavel) vettel larga na frente.

    Agora quanto a corrida tem muito se…
    Se não chover
    Se não quebrar
    Se não tiver muito safety car

    vettel vence,
    caso contrário a vitória ficará entre esses aqui:

    vetel, alonso, massa, hamilton

    • Wilson, se der chuva, loteria, vai ter safety carr, isso eu aposto, então vai ser difícil apostar…
      vamos ver depois do treino classificatório.

      desde já, aposta anotada!

      abraço

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: