O que a Asa Duto é capaz de fazer

Dadas as devidas circunstâncias, sabemos agora que, feliz ou infelizmente, a Asa Duto estará proibida em 2011. Em seu lugar, algo não tão diferente mas que merece muita análise ainda, a tal da Asa Móvel. Muitos, obviamente, já nos alertavam do quão perigoso o F-Duct poderia ser. Isso porque os pilotos da Red Bull, diferente dos da McLaren, por exemplo, que cobrem o duto com o joelho, tapam um buraco na lateral do carro com quatro dedos da mão esquerda. Até aí, tudo normal.

Porém, uma simples e indefesa notinha no Grande Prêmio me chamou muito a atenção, e, ao mesmo tempo, me preocupou. Lá, diz que o terrível acidente ocorrido em Valência, domingo passado, entre Webber e Kövalainen (felizmente nenhum dos dois sofreram um arranhão) foi causado, a princípio, pelo ato de Mark ter que ter retirado a mão por instantes do volante para tapar o duto.

Não sei até quando essa versão se sustentará, se ela for verídica ou não, mas não é de hoje que Horner alerta sobre o perigo do dispositivo. Entre essas e outras, ele está proibido em 2011. Mas ainda tem 10 corridas pela frente…

As imagens onboard estão a partir do segundo 0:30:

14 respostas para “O que a Asa Duto é capaz de fazer”

  1. Pois é Tomás , ” taparam um santo e destaparam um outro ” isto é : a possibilidade dos pilotos regularem a asa traseira de dentro do carro – é lógico – , a partir do próximo ano .
    E o grande propósito da tal regulagem na asa no entendimento dos homens da FOTA , é de proporcionar o aumento de ultrapassagens … mas peraí … isso não seria uma novidade na F1 .
    Tomás uma coisa que acho interessante é que desde o fim da década de 60 , está proibida qualquer peça móvel nos F1 .
    Uma determinação que surgiu após a invenção do aerofólio traseiro , introduzido na categoria pela gloriosa Ferrari , no carro de Jacky Ickx , no GP da Bélgica , em 1968 .
    Mas a prática que funcionou tão bem , logo foi proibida por medida de segurança , depois que várias asas se desprenderam dos carros , motivos esses , é que as asas começaram a subir sendo sustentadas por frágeis varetas de fixação .
    Mais tarde voltam os aerofólios aos F1 nos anos 70 , mas como peça fixa .
    Alguns pilotos estão ironizando a aprovação das ” novas ” asas como é o caso do Kubica que é contra , e argumenta que , ” as corridas já estão bem competitivas , muito mais do que em 2007 , quando eu iniciei na F1 , e as ultrapassagens eram bem mais raras ” .
    Pois é meu caro Tomás … e agora , o perigo continuará ? e essa história da peça móvel proibida há um tempão ? Mas como tudo na F1 têm muitas interpretações …

  2. Aqui está um video que dá a entender que é mesmo um erro de pilotagem, e neste video vê-se bem que ele n tira a mão antes do embate. Dá a sensação que perde a frente…

  3. Sempre na mesma tecla:
    Será que a máFIA ainda não compreendeu, que a segurança em qualquer esporte deve ser primordial, Duto-F, provou que é perigoso, já imaginaram se no acidente do Webber o carro fosse cair na arquibancada? Pista de rua tem ainda mais chance de isso acontecer!
    Não foi proibido esse ano, só para o ano que vem, mais já existe um projeto para usar uma asa móvel, que deve ser até mais perigoso.
    O importante para a máFIA é inventar algo para cada vez mais as novas equipes gastem mais e saiam da F1, se as grandes fabricas não aguentaram, não vai ser as pequenas que vão conseguir sobreviver.
    A história da galinha dos ovos de ouro, pode se tornar realidade na F1!

  4. Tomas….vi e revi o video…ta dificil de ver se ele tirou a mao ou n…
    Sera q no video ele esta com a mão direita tampando o dispositivo?!?!?
    Fica um pouco estranho n?
    Mesmo assim….muito perigoso…
    Sera q ate o final do ano teremos mais trapalhadas por causa disso?

    1. Se, ele estava tapando ou não o dispositivo, eu não sei, mas que o piloto da Lotus mudou de rumos varias vezes na frente dele, isso esta bem claro no video.

  5. Pois é gente, eu também vi vários vídeos pela Net e não vi nada…
    Vamos ver o que se dirá nos próximos dias, mas duvido que se for isso Webber admita…

  6. Só tão banindo porque foi a Mclaren que projetou, e da pra ver que com os pilotos da Mclaren não existe este tipo de problema. As outras equipes querem copiar, fazem uma coisa “porca” que coloca em segurança a vida de pilotos, torcedores, comissários, como vimos no Gp da Europa. Sou a favor da asa móvel, mas totalmente contra o KERS. Também concordo com Kubica, esse ano as corridas em que a pista permite show, temos show!

    Go Go Go Mclaren

  7. Se foi por causa do asa duto, o Webber vacilou então, porque foi querer mexer nessa asa bem naquele momento que ele teria que ter mais cuidado em passar o Kovalainen sem problemas, mas acabou tendo foi um problemão e deu uma voadinha pra curtir a vista rsrs.

  8. Tomás, gostei muito do comentário do Willian Ceolin do Blog : corrida de Formula 1, repasso

    Equipes novatas estão no mesmo nível das “pequenas” do passado
    Escrito por Willian Ceolin

    O acidente entre Mark Webber e Heikki Kovalainen no GP da Europa trouxe de volta a polêmica sobre os baixos tempos das novas equipes na Fórmula 1. A preocupação é considerável, mas não faz tanto sentido se pensarmos que, poucos anos atrás, também havia o mesmo nível de diferença entre os principais times e os menores.
    A diferença da Lotus de Kovalainen para o melhor tempo no Q1 do último sábado foi de 2.750s. Em 2002, Webber estreava na F1 pela Minardi. Qual a diferença de tempo dele para o primeiro colocado? Foram exatos 4.243s. Diferença menor apenas do que os carros da HRT no último fim de semana.
    No Canadá, Fernando Alonso e a Ferrari tiveram um discurso mais agressivo contra as equipes. Luca di Montezemolo defendeu que elas fossem impedidas de correr, por exemplo:
    Carros andando no mesmo nível da GP2 não deveriam ser permitidos de participar na Fórmula 1.
    Ironicamente, o seu pupilo Alonso estreou na Fórmula 1 em 2001, pela mesma Minardi na qual Webber iniciou a carreira um ano mais tarde. O tempo do espanhol foi 3.765s acima da melhor marca. Ou seja, desempenho pior do que a Lotus e semelhante ao da Virgin, já que Lucas di Grassi foi 3.954s mais lento do que os líderes em Valência.
    Mesmo com tempos baixos, a Minardi e outras equipes conseguiram construir uma história de tradição na categoria. O que leva a duvidar dos motivos de tanta relutância em aceitar Lotus, Virgin e HRT nesse momento. Afinal, elas estão no mesmo patamar de Minardi, Prost, Jaguar, Arrows, Super Aguri e Midland na última década.
    Felizmente, a briga com as novatas parece atingir mais alguns figurões do que os torcedores. Prova disso é que, no acidente de Webber, 45% dos leitores do blog consideraram o australiano culpado. Sendo que 25% consideraram um acidente normal de corrida e 30% “condenaram” Kova.
    Com o decorrer do campeonato, as novatas evoluem, ganham a simpatia dos fãs e mostram que podem construir sua história na Fórmula 1 como tantas outras fizeram no passado. Mesmo que alguns figurões façam charme e esqueçam da sua própria história na categoria.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s