Qual será o futuro de Senna e Di Grassi na F1?

Talvez um dos maiores dilemas sobre a “dança das cadeiras” envolvendo pilotos possa se desenvolver com os mais novos representantes do Brasil na máxima categoria do automobilismo mundial: Bruno Senna e Lucas Di Grassi.

Ambos chegaram a esta temporada depois de muitas tentativas frustradas (principalmente com Lucas) e, infelizmente, “pousaram” em equipes muito fracas e praticamente em outra categoria. A Hispania (antiga Campos), de Bruno, e a Virgin (antiga Manor), de Lucas, vivem momentos difíceis a parecem ter um avanço muito pequeno quanto a resultados e performances.

Obviamente que para um carro que esteve guardado em um depósito durante meses para esperar um acordo entre seus representantes e que não pôde correr 1km sequer no testes pré-temporada e para outro carro que foi feito totalmente por computador, o caminho não deveria ser dos mais fáceis.

Porém, o que se trata aqui é sobre o que poderá acontecer com estes pilotos se o futuro dos seus respectivos time não for o melhor possível. Como podemos notar, há algum tempo o abandono de equipes da F1, ou a venda e subseqüente troca de nome e de dono é bastante comum.

Aconteceu com a Midland, que se transformou em Spyker, que virou Force India (entre elas, esta se estabeleceu muito bem na categoria), aconteceu com Super Aguri e mais recentemente com BMW, Toyota e Honda, saídas influídas pela crise econômica mundial. Portanto, isso pode claramente acontecer com Hispania ou Virgin no final deste ano, o que pode em grande parte comprometer o futuro de Senna e Di Grassi na F1.

Atualmente, ambos estão conseguindo levar a temporada, digamos assim, sob controle. Bruno “ganha” de 6×3 em treinos para Chandok, porém perde de 2×7 em corridas. Di Grassi perde de um sonoro 1×8 em treinos, mas leva a melhor por 5×4 quando o assunto é corrida. Apesar disso, nenhum conseguiu sair da penúltima fila na classificação, nem chegar além do 14º lugar em provas. Obviamente, os péssimos carros que têm são os maiores responsáveis.

Isso é uma grande trava para um piloto iniciante. Quando se chega a F1, tudo o que se quer é mostrar o melhor para, assim, tentar conseguir com o tempo um lugar em um time de ponta. Porém, se você estreia em uma equipe que não lhe dá condições de absolutamente nada, isso fica muito complicado. Assim, o tempo passa, sua equipe encontra problemas, você não acha um lugar e é obrigado a abandonar a categoria. Muitos pilotos já passaram por isso, e Bruno e Lucas sabem disso.

O mais curioso é que os pilotos estavam ligados a equipes mais competitivas. Bruno, por exemplo, era tido como grande candidato a ter um cookpit na Toro Rosso. Porém, Alguersuari resistiu no lugar. Já Lucas, foi por grande tempo 3º piloto da Renault, e quando Nelsinho saiu, havia encontrado um lugar ao sol. Porém, Grosjean, francês, tomou seu lugar. Este ano, com a total mudança, a possibilidade virou sonho.

Foi na Hispania e Virgin que a grande chance apareceu. Talvez o baixo rendimento era sabido, mas nesse momento mais valia entrar de vez no circo do que esperar na fila e possivelmente nunca mais entrar.

Por isso mesmo, se qualquer um dos dois sobreviver a 2011, será lucro. O futuro das equipes ainda não se sabe. As outras vagas estão praticamente vazias. Este ano será muito difícil conseguir um grande progresso que leve a zona de pontos. Mostrar algo que agrade a outros dirigente, será impossível.

Sendo assim, alguém arrisca dizer qual será o futuro de Senna e Di Grassi na F1?

12 comentários em “Qual será o futuro de Senna e Di Grassi na F1?

  1. Lucas, parece que passou sua vida, com o foco da F1, não sei quanto ao futuro, mais precisa mostrar um pouco mais, ninguém permanece na F1 se não mostrar algo muito bom, isso ele ainda não fez, se é o equipamento ou não, pouco importa, o importante é tirar água de pedra.

    Sobre o Bruno, seu ano de férias antes de assumir ou sumir na Hespanto Racing o vez perder segundos preciosos nessa que é a Formula Um moderna, penso que é mais um brasileiro que vai passar pela F1, não deve fazer parte da história da F1.

    É muito triste para mim, não escrevo mais o seu nome completo, somente Bruno, como faço com o Nelson Angelo, ” FITTIPALDI, PIQUET e SENNA” são nomes para serem lembrados como os nossos três mosqueteiros, nossos herois na F1 .

  2. tomara que as duas equipes possam continuar, pois os dois são excelentes pilotos, as coisas podem ser um pouquinho mas desfavoravel para Lucas e um pouco mais gentil para senna, devido ao seu sobrenome (mas isso n leva a nada). Msm assim ainda acho o di Grassi melhor piloto que o Bruno, e espero que os 2 tenham um prospero futuro na F1.

  3. São dois grandes pilotos que não tiveram sorte na F1. Em 2008, Lucas e Bruno estavam brigando por uma vaga na Honda, a equipe faliu e os dois ficaram á pé. Di Grassi era pilotos de testes da Renault, e quando surgiu a chance a equipe francesa tirou da merd* Grosjean só por ser da França, pois não fez porcaria nenhuma, e Lucas continuo na vontade.
    Bruno nunca foi “grudado” com nenhuma equipe na F1, mas desde o ano passado surgiu a possibilidade de ele correr pela STR, mas Jaime Alguersuari se firmou no cargo, o que não foi uma má escolha por parte da Toro Rosso, apesar de não sabermos – na F1 – o real potencial de Bruno.
    Esse ano Lucas pegou um companheiro de 2 anos de Toyota, e esta suando a camisa para fazer alguma coisa. Pelo menos nas corridas tem sido melhor que o companheiro, e deve continuar na Virgin – se ela continuar na F1 – pois até que pelas condiçoes da equipe, esta fazendo uma boa temporada.
    Já Senna tem ido bem nas classificações, e não tão bem nas corridas. O carro da Hispania, evolui bastante durante, porem continua muito ruim, e os diretores estão cobrando coisas de seus pilotos que o carro não os possibita fazer. Por isso, na Hispania, acho dificil que Bruno e Karun continuem. Os dois podem dar sorte de alguma equipe os contratar, mas isso é bem dificil – infelizmente.

  4. Os dois tem sistematicamente apanhado, tanto dos respectivos carros, quanto de seus companheiros. Pelo menos o di Grassi sofre com relação a um companheiro com certa experiência, já o primeiro-sobrinho tem um colega tão inexperiente quanto ele. Só não venham com a desculpa que ele ficou um ano sem pilotar, porque isso não cola.
    Sinceramente, na minha opinião, nenhum dos dois tem dado resultado algum e, trocando seis por meia dúzia, as equipes estão mais interessadas em quem leve grana, na situação idêntica, portanto, não vão longe…

  5. Na Fórmula 1, infelizmente o piloto precisa ter carro, ainda mais com equipamento muito abaixo, que impossibilitam de disputar sequer o bloco intermediário.

    Bruno Senna e Lucas di Grassi estão tendo problemas por conta disso. Bruno ainda vem superando constantemente o Chandhok, mas di Grassi, ao lado de um piloto mais expressivo, vem sofrendo pela falta de experiência.

    Lucas e Bruno têm chances, mas ambos poderiam até perder um ano como piloto de testes. Ambos poderiam tentar a Renault, ou algum time do bloco intermediário. Bruno, como sobrinho de Ayrton, teria maiores possibilidades nesse quesito, devido a relação do tio campeão com alguns integrantes do certame. Lucas, pode ser um bom nome na escuderia francesa, poderia tentar algo lá, caso Raikkonen não retorne à Fórmula 1, fato ainda improvável, já que o finlandês tem tudo para permanecer nos ralis.

  6. B. Senna, esta tendo mais um ano de aprendizado, pois anda com um GP2 com motor de F1, tem superado seu companheiro Indiano, quebra mais do que o companheiro, mas extrai melhor o limite do carro muito ruim, a Hispania não tem grana nem para testar em tuneis de vento, estão evoluindo no sentido de saber os setups corretos ao comparar pistas em que já correu e tentar repetir os acertos, acho valido ele ter corrido este ano, e parece que esse espaço na Hispania é o unico que lhe restará, ainda com resalvas, talvez o novo comprador da equipe já tenha uma sua dupla de pilotos, o que lhe resta fazer é juntar uns trocados e ano que vem conseguir um vaga melhor ou pelo menos permanecer no grid, o carro é ruim, logo fazer critica é um tanto leviano, precisa se dar uma chance melhor e mais tempo, é que brasileiro é assim mesmo, estão esperando que B. Senna ganhe corida com aquela caixa de fibra quadrada sobre rodas.

    Lucas, ele esta em uma equipe que não vende vaga, parece ter um plano de desenvolvimento sério, pelo menos eles trabalham muito e ja mudaram bastante o carro, porem o carro que nasce ruim, pode ajeitar de tudo que é jeito que ele não evolui la grandes coisas, e tem mais, em uma entrevista de Massa revelou que Lucas de Grassi é apreciado como acertador e desenvolvedor de carro, tem todos os Setups usados desde o tempo que era piloto da Renault, e é claro deve fazer parte da fabricação do segundo carro da equipe, lembrando que Timo Glock tá só no aguardo de uma proposta melhor pra sair fora tambem, em relação a seu companheiro, Lucas tem até andado bem, pois a coisa de 5 corridas ele tem carros menos evoluidos que o do companheiro, muita gente analisa o resultado e não o trabalho em si, se olhar pros objetivos da Virgin, talvez o Lucas esteja sim fazendo um bom trabalho e merecendo mais um ano de contrato.

  7. Bom dia Tomás.

    A semana antes do GP da Europa fizeste um post das actualizações da Ferrari(que chamaram grande pacotão ou F10B) que realmente nada vimos,fogode palha.

    Não seria coerente da sua parte tambem falar do pacotão da Mclaren para o GP da Inglaterra?

    Ademais veja como a equipa de WOKING trabalha, não estão fazendo publicidades, falando em pacotão, por la tudo está muito calmo nada de laridos, realmente eles vão mostrar o seu trabalho na pista.

    Tomás isto é que me facina na equipa Inglesa, a maneira que eles trabalham, o cuidado que eles têm com as informações, não acusam o adversario que é aquilo ou aquele, tudo la é analizado com o maximo cuidado.

    Mesmo a Imprensa Inglesa não defende os pilotos Ingleses quando estão errados, eles realmente ficam ao lado de quem te razão, ao contrario da Imprensa dos outros paises.

    Com certeza a Mclaren deve se preocupar com o cachorro que está vivo(Red Bull), não com o cachorro que ja está morto(Ferrari).

    Um abraço a todos.

    • Olá Edgas;
      Claro que sim, falarei do pacotão da McLaren para Silverstone. Porém, hoje é apenas segunda-feira, acredito que lá pelo meio da semana teremos informações mais claras e concretas a respeito.

      Abraço.

  8. Tomas,

    Ao meu ver o melhor para esses 2 pilotos, vai ser seguir os passos de Alonso, Piquet JR e Massa.Que é se candidatarem a pilotos de teste de uma equipe grande ou emergente. E aguardar uma vaga.
    O caso do Massa é um pouco diferente pois ele ja era da Ferrari, foi imprestado para a Sauber, mas depois voltou como piloto de teste e abocanhou a vaga do Barrichello.
    Alonso começou na já decadente Minardi, e migrou para a Renault.
    Piquet JR, herdou uma relativa boa vaga na Renault
    Acredito eu, que Nick Heidfeld está com a mesma esperança na Mercedes, caso o Alemão heptacampeão canse de “brincar” na F1, certamente herdará uma belissima vaga.
    Não vejo muita saída para os brazucas continuando nessas equipes. Infelizmente nessa atual situação seria melhor ficar testando um carro com potencial, ganhando a confiança e agradando os engenheiros e chefes de equipe, do que literalmente se queimar correndo nessas nanicas. Pior é a situação do Bruno, pois ao que parece a Hispania passa por serios problemas economicos e não deve continuar na temporada do ano que vem.
    A Virgin tem um orçamento humilde, mas grana não é problema ao Sir Richard Branson, se ele desistir do CFD e começar a alugar um túnel de vento para desenvolver seus carros muitos acreditam que o desempenho da VGP pode melhorar para o ano que vem.

    E tem mais um lado negativo caso optem por continuar nas nanicas. As pequenas equipes naturalmente precisam de pilotos pagantes, e tanto 1 quanto o outro brasileiro não dispoem de muita grana para colocar nessas equipes, e com isso existe a possibilidade de serem substituidos por 1 “Petrov” da vida….

    Abraço

    • “Infelizmente nessa atual situação seria melhor ficar testando um carro com potencial, ganhando a confiança e agradando os engenheiros e chefes de equipe, do que literalmente se queimar correndo nessas nanicas.”
      É cara mas infelizmente, tambem, a FIA proibiu os teste duranta a temporada, e eles não conseguiriam mostrar seu potencial.

      • Verdade Lucas, bem lembrado!
        Piloto de testes que não testa nada, vide Fisichella e Heidfeld

  9. Coitados dos meninos, eles não tem presente, como podem ter futuro. É melhor voltar a correr de GP2, que andar nessas porcarias, que eles tem hoje a disposição.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: