Ordens de equipe: O dilema que retorna…

Ordens de equipe. E quem diria que, mais uma vez,  “elas” podem decidir o mundial mais enigmático dos últimos tempos. A verdade é que, depois do que se viu em Hockenheim, algo que não precisa ser explicado novamente, as equipes procuram -evitar- trazer esta palavra ao paddock. A FIA, no caso, pouco se importou em manipulação de resultados na época, e até cogitou trazer de volta as ordens, proibidas desde 2003.

Mesmo assim é óbvio que nós jamais saberemos o que pode vir a acontecer no lado interno das equipes hoje em dia. Se este ano já se manifestaram casos de ordens de equipe, sejam totalmente perceptíveis para qualquer um ou outros mais “escondidos”, no geral elas nunca irão desaparecer, justamente porque, muitas vezes, são necessárias.

Em Hockenheim não eram, e ali temos o exemplo do escandâlo que ocorreu em volta do acontecido Mas ainda sustento, em minha opinião, que se tivesse sido o contrário (Alonso cedendo passagem á Massa), a maioria dos espectadores de F1 que não procuram outras fontes que Globo e Galvão Bueno (por sorte aqui no Blog não é assim) fariam festa e todos iriam rir ás custas de Alonso. Uma pena que não ocorreu dessa maneira, para provar na realidade, e não na teoria, que seria isso o que aconteceria.

Mas bem, o caso aqui trata-se de que, mesmo se a Ferrari tivesse deixado Massa vencer na Alemanha, Alonso seria, mesmo assim, líder por 4 pontos de vantagem sobre Webber. Agora, temos 5 pilotos (Button é o 5º isolado, e possui apenas chances matemáticas) que buscam o título e 2 equipes que terão que se decidir em qual beneficiar- no caso de Alonso, ele já tem escudeiro.

Vamos, primeiro, para a McLaren. Lewis, com o 2º lugar em Yeongam reativou as esperanças de título e com os 18 pontos conquistados diminiu a desvantagem que o separava da liderança -eram 28 para Webbere agora são 21 para Alonso. A diferença, porém, é relativamente grande e Lewis irá precisar de uma combinação de resultados para ser campeão, a começar por duas vitórias e torcer para Alonso não ser segundo colocado. Tarefa árdua, mas não impossível.

Tendo em base isso ainda temos Button, que está 42 pontos atrás de Alonso e tem pouquíssimas chances de título. Mas como amnda a tradição, a esperança é a última que morre e Jeson ainda, por incrível que pareça, não jogou a toalha. Porém, sobre uma futura e provável ajuda á Hamilton, Button disse que se não puder vencer, será ajudante do companheiro na disputa pela taça. O mais esperado, portanto, deve ser Lewis na frente de Button, que irá tentar retirar pontos dos rivais, assim como está fazendo Massa.

No segundo caso temos, em uma situação um pouco mais equilibrada, a Red Bull. Webber era o líder do campeonato até rodar em Yeongam, e Vettel assumiria a liderança isolada (assim como fez Alonso, afinal estavam empatados) com a vitória que alcançaria restando 10 voltas. Quis o destino que o seu motor Renault não durasse o suficiente e o jogasse do céu ao inferno em segundos. Assim, a diferença de pontos entre os dois continua idêntica, porém, há uma diferença clave: Antes estavam em jogo 75 pontos, e agora temos 50 por serem disputados e repartidos em Interlagos e Abu Dhabi.

Seria capaz a Red Bull sacrificar Webber, que está 14 á frente de Vettel, em favor do alemão? Horner neste momento deve estar com este nó na cabeça, e pensando que por 10 voltas Vettel perdeu mais uma vitória e a liderança inédita em sua carreira de um campeonato. Webber possui apneas a vantagem numérica, que realmente é a que mais importa, mas Vettel parece ter o apoio moral de Horner e Marko.

Não duvido que Seba marque as duas poles restantes, mas mesmo vencedo no Brasil e Abu Dhabi, teria a sombra de Webber em segundo. No geral, o mais provável de agora em diante é que Webber, Vettel e Alonso disputem o título na última prova. A meta para a dupla de Milton Keyes será a vitória, enquanto para Alonso estar no pódio, preferncialmente á frente de Mark, asseguraria seu tricampeonato.

A pergunta que permanece no ar é: A Red Bull jogaria no lixo o título de Webber em favor de Vettel, como a McLaren fez com Lewis sobre Alonso em 2007? Imaginando que sim, é provável vermos a Ferrari novamente campeã. Kimi que o diga..

21 respostas para “Ordens de equipe: O dilema que retorna…”

  1. Agora a Red Bull deve trabalhar por Webber. Mesmo o Vetel sendo o queridinho, eles sabem que se quiserem algum titulo, precisam de Webber.
    Na Ferrari a preferencia esta definida desde o GP do Brasil do ano passado (quando foi anunciado que o Alonso seria do time), e era de se esperar um jogo de equipe, mas não tão cedo. Para o espanhol ter TODO o meu respeito por um possivel titulo, esse tem que ser ganho por, 8 ou mais pontos, senão não será totalmente justo. Se for por mais, ele mereceu 99,999…% (já que aquilo manchou sua temporada).
    Na Mclaren, a preferencia parece ter sido estabelecida, e Button vai ser o escudeiro de Hamilton, mas acho dificil que o titulo va para Woking.

    1. Muitos criticam a postura da Red Bull quanto a não beneficiar apenas um piloto, no casoo, Webber. Mas é indiscutível a preferência da equipe por Vettel, e ela gostaria de ver Seba campeão.

      Obviamente nem tudo o que se deseja se consegue, mas perder um título por não beneficiar o piloto que está melhor colocado a apenas duas corridas, chega a ser irracionalidade. Vamos tomar um exemplo: Se em Interlagos, restando 15 voltas para o fim do GP e a ordem estiver em- Vet, Web, Alo-, se eu fosse Horner mandaria Vettel deixar passar Mark.

      Mas isso é improvável de ocorrer, então Webber terá que correr contra sua equipe, assim como Alonso fez em 2007 em Woking. No caso da McLaren, esta perdeu o título pelo mesmo motivo que a Red Bull pode chegar a perder. Vamos ver no que o time pensará primeiro.

      Quanto à diferença de Alonso (os 7 pontos “falsos”), no momento não fariam diferença em sua posição, a liderança. Mas se por algum acaso ele for campeão com 6 de diferença, nem quero imaginar a discussão que irá se formar em torno disto…

      1. isso só vai ocorrer aqui no Brasil pelas viuvas do massa, o que sinceramente não conta muito

      2. tomás
        matematicamente até pode existir possibilidade de título para hamilton e vettel, mas na prática isso não ocorre.
        Pois seria necessário que tanto alonso como webber fizesse pouquissimos pontos ou não fizessem pontos por quebras e batidas nas duas provas.

        No Brasil Massa vai querer fazer o seu melhor, não pensando em Alonso ou Ferrari, mas em sua própria imagem, e ele sempre se dá bem no Brasil.
        Hamilton empolgado por que imagina que ainda pode ser campeão também tentará fazer mais do que seu melhor e aí a gente já conhece o capítulo final:
        ele faz lambança. ou aperta botão errado, ou bate na roda de alguem, ou dá uma escapada e assim vai.

        Webber para ser campeão tem que pensar em ganhar as duas corridas.

        Vejam:
        vettel hoje 206 – se vencer duas corridas marca + 50 e alcançaria 256
        precisaria que alonso e webber não marcassem mais pontos

        hamilton: precisa vencer as duas ultimas e torcer para que ocorra o mesmo que na coréia, ou seja, seus concorrentes marcarem os mínimos de pontos ou nas duas corridas se darem mal. Uma corrida isso até pode acontecer com um ou com outro, mas com todos simultaneamente é muito remoto.

        webber: chegar a frente de alonso nas duas proximas corridas com diferença de no mínimo 6 pontos cada corrida a favor dele sobre alonso.
        Tipo ele vencer uma corrida, alonso chegar em segundo.
        Ele chegar em segundo, alonso em terceiro.
        Vai precidar da equipe fazendo jogo de equipe favor dele (o que não acredito sinceramente, seria bom estar errado, mas vejo a redbull mais interessada em ajudar vettel do que ter webber campeão), pois temos visto vettel sempre se classificar melhor do que webber.
        Teria que ser do tipo: vettel se classilfica em primeiro, posteriormente no decorrer da corrida com webber em segundo, os dois trocariam de posição (ou na pista, o que é dificil de acontecer, ou então nos boxes) e então vettel ficaria a frente do alonso para poder tirar pontos do espanhol.

        Alonso: se chegar em segundo nas duas proximas corridas e webber só vencer uma corrida. Se chegar em segundo e terceiro em outra e webber vencendo uma e chegando outra em terceiro – alonso é campeão.
        Se alonso vencer mais uma corrida, só precisará de um sexto lugar na outra, mesmo que webber vença uma e chegue em segundo na outra.

        para terem uma idéia:
        seis ultimas corridas, pontuação por piloto:

        alo web vet ham but
        133 92 85 65 56

  2. Nessa epoc ao jogo de equipe, já é normal e válido. só não é valido ter jogo de equipe no inicio do campeonato. E tudo leva a crer que a Red Bul não vai priorizar Mark Webber, eles querem de qualquer maneira perder o campeonato…

  3. Acho que agora é a hora de Red Bull e McLaren privilegiarem alguém, pois há uma diferença grande entre seus pilotos. Antes não adiantava, pois o piloto privilegiado poderia errar e ficar até mesmo atrás do companheiro, mudando tudo.

    Como escrevi em meu blog, Vettel e Button, a essa altura do campeonato, ajudarem seus companheiros é uma forma de retribuir às suas respectivas escuderias os bons carros que receberam e a chance de brigar pelo título até o fim da temporada.

    1. button por livre e espontanea pressão deve fazê-lo
      já lá pelos lados da redbull isso não parece fazer diferença
      deve ocorrer o mesmo que em 2007 nos lados da mclaren na época
      o piloto favorito que se exploda

  4. O asturiano é o único que pode ser campeão ‘matemático’ no Brasil e tem 3 opções para isso:

    Vencer a corrida com Webber em quinto
    Ser segundo e Webber oitavo
    Ser terceiro e Webber ser décimo

  5. Olá, gente! Acredito que a situação em 2007 na MacLaren foi diferente, já que Lewis tinha realmente mais chances de conquistar o título que Fernando. Mas quanto a esse ano na Red Bull, acho que Horner já deve ter jogado a máxima de, enquanto tiverem chances matemáticas, deixar os dois pilotos disputarem o título à vontade. Agora, vamos ver como estarão os ânimos de Sebastian para os jogos de equipe…
    Chance da equipe dos energéticos perder o título para a Ferrari existe com ou sem ordens de equipe, graças a quantidade de erros históricos e engraçados cometidos pela Red Bull este ano. Mas deixar de lado o jogo de equipe aumenta as chances do título ir para as mãos da Ferrari, ou até para a MacLaren, depois daquele trágico final de 2007, tudo é possível!!!
    Ah, alguém tinha ouvido falar numa quarta força no campeonato no começo do ano?
    Bjs, boa semana para todos!

    1. Só se o motor do Alonso estourar na subida da reta…;)

      Afinal, enquanto há curvas, há esperança!

      Go Lewis!!!

      1. não, não amigo
        voce está equivocado
        nem com reza braba

        é mais fácil o contrário
        o rã-miltu bater na roda de alguem, apertar botão errado, largar errado, etc
        afinal é o gp do brasil e ele ainda não se deu muito bem por ali
        por sinal só ganhou em 2008 o título porque o alemão da toyota não se segurou na pista com pneus lisos

  6. Christian Horner:
    “Foi o oitavo motor utilizado por Sebastian Vettel, e o ponto forte do motor Renault é a sua durabilidade.”
    “Obviamente não é a situação ideal, Vettel vai aprender a poupar equipamento. Esperamos que isso tenha um efeito sobre ele.”

  7. Amigos,

    Desconfio que houve ordem de equipe por parte da Ferrari nesta corrida. Caso alguém tenha acesso a todos os dados de corrida (tempos de volta, por exemplo), por gentileza, corrigir ou confirmar as informações abaixo.
    Na 31ª volta, Sebastien Buemi tentou ultrapassar Timo Glock, perdeu o carro e acertou o alemão, provocando o retorno do safety car. Com a bandeira amarela, Hamilton, Massa, Schumacher, Barrichello e Kubica entraram nos boxes e trocaram os pneus de chuva pelos intermediários.
    Tempo de pit: 24,0 para Lewis; 23,9 para Massa; 25,3 para Schumacher.
    Na volta seguinte, Vettel e Alonso fizeram o mesmo. Imagino eu que está volta a mais que deram foi mais lenta devido ao pneu de chuva desgastado e a presença do safety car. Enquanto os demais vinham babando de pneu novo e pista livre.
    Mas o espanhol teve problemas na roda dianteira direita em sua parada e acabou perdendo a segunda posição para Hamilton em seu retorno à pista.
    Tempo de pit: Vettel 23,8 e 27,8 para Alonso (4s a mais!)

    Vocês não acham possível que, assim que surgiu o problema na parada de Alonso, a Ferrari não pode ter dado a ordem: “Felipe, faz o resto da volta com o freio de mão puxado!”, pois ninguém podia ultrapassa-lo (bandeira amarela) e assim evitava dois problemas:
    -Massa ultrapassa-lo e ter que devolver a posição, reacendendo a discussão sobre jogo de equipe;
    -Schumacher também ganhar a posição e complicar a vida de Alonso.

    Só para deixar claro: não sou fanático por Massa nem por Alonso, e não escrevi isso para dizer que um é melhor ou pior que o outro. Simplesmente, sou um fã de Formula 1 que gosta de compartilhar idéias no fórum.

    1. Acho que é possível, mas não acredito que tenha acontecido, afinal já tivemos punições este ano (RBR) por semelhante acontecido (Vettel segurou o pelotão para o Webber abrir).

      1. segurou e foi punido por não conhecer as regras pois deixou um espaço maior do que o de dez carros, lembram?

    2. A ordem de equipe agora, quando o Massa já não tem chance de titulo é aceitavel, o problema é que a ferrari sempre faz a coisa do jeito que quer e tripudia do regulamento.

  8. Sim, a Ferrari errou na Alemanha, mas de a partir de agora, gente, tem que ter ordem de equipe! Duas corridas, e se a RBR não optar por Webber (que é mais velho, mais experiente, e está na frente) vai perder o título de vez. A Ferrari, obviamente, optará por Alonso, e o fato de Massa rir junto com Alonso no pódio dá uma tranquilidade para todos (nós) os tifosi.

  9. Na Red Bull, também sou da corrente que acredita que eles têm tudo para entregar o caneco nas mãos de McLaren ou Ferrari. Hamilton e Alonso são os melhores pilotos no momento, estão conseguindo, no braço, acompanhar os carros patrocinados pelas bebidas energéticas, projetado pelo Adrian Newey, notório gênio.

    Lewis, a partir de agora, tem o apoio de Jenson Button. Na minha opinião, acho que ele ajuda. Confio mais nele que no Felipe Massa, neste aspecto. Até considero que o brasileiro ajude o asturiano, como fez em 2007 em favor de Kimi Raikkonen. Mas com o finlandês a história é outra, ele, que eu não esperava, retribuiu. Se fosse o contrário, não acreditaria numa ajudinha do espanhol, assim como na Red Bull. Vettel não atrapalhará Webber, mas também não ajudará, na minha opinião.

    No momento, o Alonso é meu favorito, mas o cenário vem mudando de uma corrida para outra. Este campeonato está muito imprevisível.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s