Virgin- E restou a última posição…

A Virgin não conseguiu ser a melhor das novatas- foi a pior. Isto é, matematicamente por um 15º lugar perdeu para a Hispania, e apesar da revolução em ter um carro projetado inteiramente via CFD, o VR-01 não rendeu o que se esperava e terminou como o lanterna na temporada.

Agora, Richard Branson terá que cumprir a sua promessa de se vestir de aeromoça no caso de que a Virgin perdesse para a Lotus no mundial. Como foi isso o que aconteceu, será realmente curioso ver a cena que deve causar algum constrangimento à Richard.

Ele que, no fundo, é o grande culpado da pífia temporada da sua equipe. Pois convenhamos que com o acervo bilionário que Richard possui, dava tranquilamente para colocar mais dólares sobre a mesa para evoluir o carro- só não fez porque não quis.

A prova de que a Virgin possui sim recursos é a da total seguridade de estar no grid em 2011- enquanto a Hispania cada dia se complica mais em seus próprios problemas financeiros. Pelo menos a garantia de se desenvolver melhor no próximo ano não é tão difícil.

O carro:

Como descrevi ali acima, o VR-01 já entrava como surpresa na temporada por sua programação CFD futuristíca e a agressiva abordagem tecnológica, que é um forte contraste com um dos carros mais bem sucedidos dos últimos tempos, o BGP-001 da Brawn do ano passado, que foi calibrado utilizando-se três túneis de vento.

O projeto em um todo sofreu de inconsistência no início, em um período de quebras que durou mais ou menos até Montreal. Dali em diante a tarefa de completar uma corrida se facilitou, tanto que Timo Glock emplacou 6 GPs sem uma quebra sequer- o que mostrava um avanço. E nas classificações não houveram tantas variações: Na maioria das vezes à frente da Hispania e, de vez em quando, beliscando um lugar entre as Lotus.

Estatísticas:

  • Pontos: 0
  • Vitórias: 0
  • Pole Positions: 0
  • Pódios: 0
  • Posição no campeonato: 12º
  • Voltas mais rápidas: 0
  • Voltas na liderança: 0
  • Melhor posição de largada: 16º, Glock (Malásia)
  • Melhor posição de chegada: 14º, Glock (Cingapura) e Di Grassi (Malásia)

Glock vs. Di Grassi

Talvez a única atitude certa que Branson tomou neste ano foi a contratação de dois bons pilotos: O alemão Timo Glock e Lucas di Grassi, já conhecido nosso. Timo, como era de se esperar, tomou o posto de 1º piloto automaticamente- a sua boa temporada pela Toyota em 2009 depois de 5 anos no anonimato foi peça-chave para isso.

Lucas, no entanto, já estava agradecido em ter finalmente a oportunidade de estrear na Fórmula 1, e, digamos, a sua temporada não foi nada mal. Di Grassi alternou em altos e baixos, sofreu um pouco, naturalmente, com o frágil carro, mas conseguiu completar alguns GPs (entre eles o 14º lugar na Malásia, sua melhor posição de chegada) e, apesar de ter sofrido uma surra do alemão em Qualifyngs (17 a 2), terminou na 24ª posição o mundial de pilotos- justamente à frente de Glock.

Isso significa que, se continuar na Virgin (o que parece complicado, mas não impossível), levará o número 20 no seu VR-02…

Estatísticas, Lucas di Grassi:

  • Pontos: 0
  • Vitórias: 0
  • Pole Positions: 0
  • Pódios: 0
  • Posição no campeonato: 24º
  • Voltas mais rápidas: 0
  • Voltas na liderança: 0
  • Melhor posição de largada: 20º, Cingapura
  • Melhor posição de chegada: 14º, Malásia

Estatísticas, Timo Glock:

  • Pontos: 0
  • Vitórias: 0
  • Pole Positions: 0
  • Pódios: 0
  • Posição no campeonato: 25º
  • Voltas mais rápidas: 0
  • Voltas na liderança: 0
  • Melhor posição de largada: 16º, Malásia
  • Melhor posição de chegada: 14º, Japão

Conclusão:

Com Glock confirmadíssimo para 2011, resta saber que será o outro candidato- se comenta que além de Lucas existam, pelo menos, outros 5 pretendentes à vaga. De qualquer modo, e apesar de ter sido a última no mundial, a Virgin parece ter bagagem e recursos suficientes para seguir com uma boa estrutura daqui em diante.

2010 serviu como aprendizado, e a adaptação aos pneus Pirelli deve ser fundamental para ver uma Virgin melhor posicionada em 2011. Porém, acima de tudo, será necessário um carro competitivo- o que, em teoria, não é fácil de se fazer para uma novata em seu 2º ano de Fórmula 1…

22 respostas para “Virgin- E restou a última posição…”

  1. Bom, sabemos que piloto pagante traz grana, porem é meio que tiro no pé, a Renault esse ano se tivesse outro piloto de qualidade estava na frente de Mercedes e com muito mais visibilidade, ou seja traria de uma forma ou de outra grana, a Lotus não teve piloto pagante e isso bom para o seu desenvolvimento, ano que vem acredito na Lotus se equilibrando com Toro Rosso Sauber e Force India, e vejo a Virngin continuar a disputar com HRT as ultimas posições, a não ser que o Richard B injete mais Grana, mantenha o Di Grassi ao lado de Glock e de um passo a mais rumo a se estabilizar na F1, se é que ele quer mesmo isso….

    1. “a não ser que o Richard B injete mais Grana, mantenha o Di Grassi ao lado de Glock e de um passo a mais rumo a se estabilizar na F1, se é que ele quer mesmo isso….”

      O que é uma dúvida ainda…

  2. Stefano Domenicalli classificou a próxima temporada como o “ano da verdade” para Massa, que foi questionado severamente em Maranello por não ter ajudado o espanhol Fernando Alonso nas últimas corridas da temporada na disputa pelo título que ficou com Vettel.

    O chefe da equipe Ferrari, Stefano Domenicali, surpreendeu ao dar um ultimato ao piloto brasileiro Felipe Massa, o dirigente avisou que Massa precisa se “redimir” de seus maus resultados no ano e se recuperar na próxima temporada.

      1. Sim. Mas esses 7 pontos a menos não mudariam tanto não Lucas. Talvez seriam cruciais pela auto-estima, mas se Massa sofria mesmo com o aquecimento de pneus, não teria ânimo que resolvesse.

      2. Sim 108 pontos ou 101 de diferença não faria diferença. Mas talvez o estima dele seria melhor do que foi, e talvez Felipe ajudasse Alonso na briga, por que dá pra ver que ele raramente se esforçou para ajuda-lo.

  3. O carro é lindo, mas é horrivel.
    Di Grassi merece ficar na equipe só pelo que fez com Glock esse ano, foi muito bem em seu ano de estréia. Infelizmente existe os “pay drivers”.

    1. Particularmente acho o Di Grassi um piloto com um potencial enorme. O ano de estreia não foi fácil, foi massacrado por Glock nos qualifyngs, mas por ser estreante é justificável. Porém, acho difícil ele permanecer na Virgin. Pelo que tenho visto até agora, o nome que substituirá Lucas será Aleshin.

      1. Eu também acho que ele é um ótimo piloto, inclusive melhor que Senna, o Bruno, claro. Mas não tem grandes patrocinadores, como a maioria dos pilotos brasileiros, o que dificulta muito as coisa nessa F1.

      2. Massa e Barrica tiveram sorte de entrarem a um tempo na F1. O Senna e o Di Grassi pela idade que os dois tem teriam condição para entra muito antes na categoria, e assim não estariam nesse sofrimento para arranjar vaga, mas não tiveram chance e agora estam nessa luta.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s