Hispania- Um ano para esquecer

A Hispania foi, sem dúvidas, a pior equipe do ano, apesar de curiosamente não ter terminando na última posição no campeonato de construtores. Não fez nada de notável nas 19 corridas do calendário, se envolveu com problemas financeiros, trocou os pilotos 5 vezes e não evoluiu em nada o carro.

Colin Kolles, o responsável pela equipe de Múrcia, nunca foi paciente com seus pilotos e os alfinetou sempre que pôde. Isso gerou um mal-estar dentro da equipe, que foi ao seu máximo no episódio em que Bruno Senna mandou, por engano, um e-mail á Kolles o criticando e dizendo que o clima estava pesadíssimo.

Isso custou para Bruno o GP da Inglaterra, em que entrou em cena Yamamoto (o pior do ano). Logo depois, foi a vez de Chandhok dar adeus (para o resto do ano), dando lugar para Senna, que voltava à equipe e fazia dupla com Sakon. Em Cingapura, Yamamoto, com suspeitas de intoxicação, deu lugar a Christian Klien. Na sequência, o japonês voltou e Klien saiu, até que em Interlagos o austríaco voltou e fechou com Senna o mundial de 2010.

Foi assim, no geral, que a Hispania viveu a temporada, com incontáveis problemas mecânicos no carro mais problemático do ano.

O carro:

O HRT 01 se mostrou um fracasso total. Um carro que esteve na fábrica da Dallara esperando a liberação para a temporada, foi apresentado apenas 9 dias antes do início do campeonato, o que significa que perdeu a pré-temporada inteira.

Levou uma ou mais voltas dos rivais na maioria das corridas que completou (que não foram muitas)

Não teve nenhum recurso aerodinâmico aprovável, e em certas ocasiões foi mais lento que um GP2. Foi inconstante o ano inteiro e não evolui em quase nenhum aspecto, o que certamente limitou o seu desempenho. De positivo, apenas que nas últimas 4 corridas Senna conseguiu levá-lo até o final.

Estatísticas:

  • Pontos: 0
  • Vitórias: 0
  • Pole Positions: 0
  • Pódios: 0
  • Posição no campeonato: 11º
  • Voltas mais rápidas: 0
  • Voltas na liderança: 0
  • Melhor posição de largada: 18º, Senna (Bélgica)
  • Melhor posição de chegada: 14º, Chandhok (Austrália) e Senna (Coréia)

Senna vs. Chandhok vs. Yamamoto vs. Klien

Como vimos acima, a Hispania trocou 5 vezes de pilotos na temporada- o que causou alguns desentendimentos na equipes espanhola. Colocou 4 pilotos distintos em seu cookpit, e só não ampliou a quantia porque a FIA não permite um rodízio maior.

O indiano, que abandonou a equipe em Silverstone, foi, nos números, o melhor pilotos do quarteto no ano: 22º na tabela de pilotos, tendo como 14º lugar a melhor posição. Senna se estabeleceu logo atrás, em 23º, e também conquistou um 14º lugar. Venceu o indiano em qualifyngs por 6 a 3 e fez uma boa temporada, apesar de obviamente não poder provar nada, por motivos óbvios.

Bruno ainda dividiria o cookpit por 6 corridas com o fraquíssimo Yamamoto, em que aplicou uma sonora goleada de 5×1 nos classificatórios. A vida de Senna se complicou com a chegada de Klien, que já correu na Fórmula 1, onde nos 3 GPs que dividiu com o austríaco, levou a melhor no sábado apenas 1 vez.

Klien, injustamente, acabou com o último lugar no campeonato de pilotos, 27º, mas provou que mesmo se grande experiência pode ser páreo para o brasileiro que esteve quase o ano inteiro se acostumando com o carro.

Estatísticas, Karun Chandhok:

  • Pontos: 0
  • Vitórias: 0
  • Pole Positions: 0
  • Pódios: 0
  • Posição no campeonato: 22º
  • Voltas mais rápidas: 0
  • Voltas na liderança: 0
  • Melhor posição de largada: 22º, Malásia
  • Melhor posição de chegada: 14º, Austrália

Estatísticas, Bruno Senna:

  • Pontos: 0
  • Vitórias: 0
  • Pole Positions: 0
  • Pódios: 0
  • Posição no campeonato: 23º
  • Voltas mais rápidas: 0
  • Voltas na liderança: 0
  • Melhor posição de largada: 18º, Bélgica
  • Melhor posição de chegada: 14º, Coréia

Estatísticas, Sakon Yamamoto:

  • Pontos: 0
  • Vitórias: 0
  • Pole Positions: 0
  • Pódios: 0
  • Posição no campeonato: 26º
  • Voltas mais rápidas: 0
  • Voltas na liderança: 0
  • Melhor posição de largada: 19º, Bélgica
  • Melhor posição de chegada: 15º, Coréia

Estatísticas, Christian Klien:

  • Pontos: 0
  • Vitórias: 0
  • Pole Positions: 0
  • Pódios: 0
  • Posição no campeonato: 27º
  • Voltas mais rápidas: 0
  • Voltas na liderança: 0
  • Melhor posição de largada: 22º, Cingapura e Brasil
  • Melhor posição de chegada: 20º, Abu Dhabi

Conclusão

A Hispania, em suma, teve um ano para o esquecimento. O único motivo para que Colles se gabe é o de não ter acabo em 12º o campeonato, mas pouco isso importou. No momento, a principal preocupação é uma sobrevida em 2011, o que já parece complicadíssima.

Sem carro, pois não há dinheiro para desenvolver outro no próximo ano, Kolin busca desesperado por patrocinadores e algum suporte técnico, afinal a Toyota deixou o time no fundo do poço ao romper a parceria, alegando falta de pagamento.

Com a volta dos 107%, será impossível para a Hispania “remodelar” o atual carro. Além de tudo, serão 20 etapas em um mundial que deverá ser muito mais complicado, pois as outras equipes contam com bagagem e suporte para seguir progredindo. A Hispania não.

Mas adianto: Não fará falta.

13 comentários em “Hispania- Um ano para esquecer

  1. uma coisa quando começa errada não adianta navegar contra, vai para fundo do poço.
    como querem mostrar serviço se não tem grana pra pagar coisa de qualidade?
    usf1, hispania

    tremendo mal gosto para um esporte como a formula um

    a virgin tambem não dou dois anos para estar ou fora ou comprada por grupos financeiros
    dessa turma só se salva a lotus

    • Talvez tenhamos 11 equipes em 2011. Já que a FIA se recusa a aprovar outras equipes com melhor estrutura que querem uma vaga.

  2. Eita equipe ridicula. O Kolles é ainda mais ridiculo. Tomare que saia da F1, e o Senninha e Chandock arrumem vagas em outras equipes, eles merecem.

  3. Muitas pessoas compram apartamento para morar, e cuidam de cada detalhe na escolha e na montagem do mesmo. Melhor pintura, melhores moveis, melhores louças. Isso se chama senso de propriedade.
    Mas alguns compram o apartamento para investir, e para isso basta saber que depois de um certo tempo o valor do mesmo estará mais alto e poderá vender. Não vai por armário imbutido, nem espelhos bisotados. Vai deixar o apto “pelado”, pois só quer recuperar o investimento.
    Esta ultima situação é o caso dos Hispania. Eles não vão colocar mais dinheiro na equipe. Criaram pois o campeonato está no limite da quantidade de equipes, assim podem agora vende-la e ganhar um bom dinheiro em cima.
    O comprador poderia ser uma das outras equipes, como fez a Red Bull comprando a Minardi e transformando-a em Toro Rosso. Mas isso diluiria os investimentos em duas equipes. Assim, ao inves de uma equipe muito boa e uma equipe média, como em 2009, optaram por uma equipe excelente e outra fraca, como em 2010 (Toro Rosso ficou em ultimo entre as equipes de verdade).
    A Honda tentou algo parecido em 2006, ao comprar a Arrows e criar a Super Auguri. Em 2008, a Honda B sai fora alegando dificuldades financeiras. A Honda A sai em 2009 com a mesma alegação.
    Assim, considero improvável que uma Ferrari ou McLaren pense em diluir parte de suas finanças em uma equipe B.
    Que opção sobra a Hispania, o carro mais feio (e talvez o mais lento) de todos os tempos?
    A venda para algum grupo de fora da Formula 1 mas ligado a automobilismo: Epsilon Euskadi, ART, DAMS, Addax, Durango, Rapax, etc…
    Mas aparentemente, tais equipes preferem esperar o mercado “imobiliário” se tornar menos insano e comprar “o próprio apartamento”, do que ter que comprar algum que já esteja levemente depreciado.
    Acho que a Hispania segue no campeonato e pede falência lá pelo mês de maio (sim, vi na bola de cristal!)

  4. “carro mais problemático do ano”. Carro? Vergonha e irresponsabilidade da FIA permitir isso. Com tantas equipes boas que já tentaram entrar na F1 e agora vêm essa que não conseguiu patrocínio, por favor!

    • Não sei o que a FIA vê de interessante em aprovar “Hispanias da vida”. E depois, ainda, temos que aturar Ecclestone as criticando e dizendo que não farão falta, que não terminam a temporada, etc, etc, etc…

  5. Pingback: Tweets that mention Hispania- Um ano para esquecer « Blog Fórmula 1 -- Topsy.com

  6. É uma pena para Bruno Senna essa estreia na F1 este ano. Só resta torcer para que o piloto brasileiro se arranje numa equipe melhor ano que vem, como a Lotus, e ver no que vai dar a trajetória dos outros pilotos “hispanianos” na Fórmula 1.
    E é complicado dizer se algum time vai querer comprar a Hispania, alguns tímidos que estão rondando uma vaga na F1 tem condições de comprar um espólio e montar uma estrutura primária muito melhor do que a já montada pelo time espanhol. Por isso, é só esperar para ver no que vai dar.
    E, Tomás, eu recomendo um post sobre a Sauber. A equipe de Peter não teve muitos sacrifícios, mas acho que o Kamui conseguiu fazer “milagre” com o carro. É uma equipe batalhadora, que tem potencial para estar mais a frente no ranking do pelotão intermediário!
    Um bom domingo a todos!

    • “E, Tomás, eu recomendo um post sobre a Sauber.”

      Ele virá Ester, na sua ordem. Teremos proximamente Lotus, Toro Rosso, e logo mais a equipe do batalhador Peter.

  7. Pingback: Red Bull: Finalmente campeã! « Blog Fórmula 1

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: