Lotus Cars compra parte da Renault e muitas coisas irão mudar em 2011

8 de dezembro, mesmo dia que se completam 30 anos da morte de John Lennon, a Fórmula 1 tem um acontecimento que, no mínimo, já muda várias peças para a temporada de 2011. Trata-se que finalmente a Lotus Cars (Proton) anunciou a compra dos 25% que a Renault possuía da sua equipe, afinal já havia vendido os 75% restantes para a Genii Capital.

Até ali, tudo normal. Acontece que, nesta complexa novela da briga judicial entre Proton (Lotus Cars) e Team Lotus (de Tony Fernandez) esta notícia muda muitos fatores.

O primeiro deles é em relação ao nome das equipes Lotus-Renault. Na lista oficial da FIA do dia 30 de novembro, a Renault saiu tradicionalmente como Renault F1 Team e a Lotus como Team Lotus. Ou seja, nesse momento, a Renault continuaria sendo a mesma e a Lotus conseguiria manter o histórico nome que um dia foi de Colin Chapman.

Agora, porém, a história muda. A FIA em nenhuma hipótese aceitará duas equipes com o mesmo nome no grid. Teríamos Lotus Renault (um único nome) e o Team Lotus, com Renault separado no esquema de fornecimento de motores.

Assim, existe uma chance de tudo sair errado. A Genii Capital, que detém 75% da ações da equipe, não tem dinheiro para bancar o projeto sozinha. E por isso depende do acordo com a Proton de Dany Bahar, CEO da Lotus Cars, e com o acordo estará injetando € 60 milhões em três anos, o que seria um alívio para as pretensões da Lotus Renault prosseguir em 2011.

Só que é difícil que a FIA aprove o documento assinado entre Bahar (Proton, Group Lotus) e Gerard Lopez (Genii Capital). Desse modo, sem poder investir na equipe e sem ter o nome Lotus na Renault, o negócio afundaria, e existem chances de que se isso acontecer, dois pilotos do grid ficarem sem vaga, e um deles é Robert Kubica.

A outra parte do grande problema é a ridícula cópia da Proton em roubar a pintura tradicional da Lotus, que já havia sido anunciada por Tony Ferndades. Ou seja, mais confusões vêm aí, pois se a FIA não aceitará duas Lotus no grid, muito menos permitirá dois carros iguais.

E, pelo que parece, a batalha que estava se desenhando entre Bahar e Fernades parece ter fim com uma vitória do CEO da Lotus Cars: Bahar proclamou:

Nós sabemos muito bem que há muita controvérsia no uso de nossa marca na F1, e estou muito contente por poder formalmente deixar clara a nossa posição de uma vez por todas: nós somos a Lotus e estamos de volta.- Dany Bahar.

Mas Fernandes, no seu twitter, disse algo, no mínimo, curioso:

Não importa quantas equipes Lotus estarão no grid. Dany Bahar nos fez um favor. Nunca me senti tão bem sobre o nosso futuro e do Team Lotus. Parece que houve a tentativa de piratear nossa ideia preta e dourada.- Tony Fernandes.

Claro que Tony poderia ter evitado tudo isto cedendo o nome Team Lotus à Proton, mas o orgulho é mais forte e desistir desse direito a esta altura não é uma atitude que alguém como Tony tomaria.

O certo é que as coisas não ficarão assim pois duas Lotus são inadmissíveis no grid. A FIA deve tomar alguma decisão logo, e o mais provável é que outra equipe modifique seu nome. Tudo pelo dinheiro, claro…

Mais uma foto:

31 comentários em “Lotus Cars compra parte da Renault e muitas coisas irão mudar em 2011

  1. Pingback: Tweets that mention Lotus Cars compra parte da Renault e muitas coisas irão mudar em 2011 « Blog Fórmula 1 -- Topsy.com

  2. Uau. Finalmente saiu esse acordo, que eu já não botava fé. Com tanto dinheiro sendo investido, Petrov não deve ficar, e outros pilotos, não pagantes, devem acabar na Lotus Renault. Sobre o nome acho que a Lotus malaia mude, e vire 1Malasya mesmo. A pintura desse carro de cima ficou linda, mas não dá pra ter 4 carros iguais, mas como a Lotus original era com essas cores, e a original comprou a Renault, está deve ter a preferencia nas cores, e a 1Malasya mude de pintura.

  3. O carro da Lotus vai ficar lindo com tres montadoras diferentes

    LOTUS – RENAULT – LADA

    • Isso é uma probabilidade. Talvez passe por votação das equipes a aprovação do nome. Um voto contra certamente teremos.

  4. Tony Fernandes e Mike Gascoyne não abdicam do nome Team Lotus
    [12:11:50 Quarta-feira, 08 de Dezembro de 2010]

    A chegada do Grupo Lotus à Fórmula 1 em parceria com a Renault F1 Team não abala as convicções de Tony Fernandes, mentor da Lotus Racing em 2010 e que se prepara para participar na categoria em 2011 com a sua equipe nomeada agora Team Lotus.

    A categoria prepara-se, assim, para assistir à situação curiosa de contar com duas equipes Lotus e ambas com decorações preta e dourada, evocativas dos tempos áureos do Team Lotus ao longo das décadas de 70 e 80 do século passado. E o braço-de-ferro entre as duas partes parece estar para durar, pois Fernandes já assumiu que não pretende abdicar do nome Team Lotus, o qual foi adquirido este ano de David Hunt.

    Em resposta a esta situação, o malaio escreveu no Twitter que “Dany Bahar (presidente do Grupo Lotus) fez-nos um favor. Nunca me senti melhor em relação ao nosso futuro e ao Team Lotus. Parece que estão tentando roubar a nossa ideia do preto e dourado”.

    Mas Fernandes não foi o único a garantir que o nome Team Lotus vai figurar mesmo no grid em 2011. Mike Gascoyne também escreveu no Twitter que o nome da equipe é para se manter: “Obrigado por todas as mensagens de apoio dos nossos fãs. Fiquem descansados, nós somos o Team Lotus e estamos aqui para ficar. E nós, no Team Lotus, estamos na F1 para projetar, construir e fazer carros de F1 (construídos) na nossa ‘casa’ em Norfolk, e para vencer como uma equipe no futuro, por isso que venham eles”.

    http://www.f1mania.net/noticias/vernoticia.php?49547

  5. O espolio da Renault leva essa, não tenho a menor duvida. O jogo só endureceu para facilitar o fornecimento de motores Renault para a Lotus atual. No final, todos vão sair satisfeitos e trocando caricias e o Tony Fernandes com mais algum no bolso e um motor de primeira linha.

    • A Renault na verdade foi quem levou a melhor, lucrando e fornecendo motores a duas equipes em conflitos. Mas ainda tudo depende da decisão que a FIA tomar, não esqueçamos disso!

  6. Tomás, discordo quando diz que é uma questão de honra. Todo o projeto construído por Tony Fernandes foi feito em cima do nome Lotus, vide pinturas dos carros. É uma forma de atrair a atenção do público e assim chamar atenção para seus patrocinadores.

    É a melhor das novatas, mas sem o nome Lotus os holofotes sairão um pouco de cima dela e, com isso, a tarefa de subir o nível da escuderia se tornará um pouco mais difícil. Perder o nome é um duro golpe a Lotus Racing.

    • Isso é provável de acontecer, mas Tony poderia já ter cedido o Team Lotus á Proton e evitado todos os problemas posteriores. Acontece que ele não que decepcionar a legião de fãs que o estão apoiando a lutar até o fim.

  7. Notícia interessante:

    “Os dois lados se enfrentarão amanhã em torno de uma mesa na reunião de comissão de F1, chefes de equipes, mais os proprietários dos circuitos, patrocinadores, Pirelli, FIA e Bernie Ecclestone. “

  8. Excelente gráfico Renato!
    E é exatamente isso. Mas o problema não está no Renault.

    A Renault de hoje irá virar Lotus Renault GP. Esse Lotus Renault seria um nome só, resta saber como a mídia o chamará. Teria, ainda, o segundo Renault, no esquema motores.

    E no caso do Team Lotus, será Lotus, pois o Renault é exclusivamente do fornecimento dos motores. Como Lotus-Cosworth em 2010.

  9. Isso vai dar zica. Resta saber como vai ficar, porque os carros são parecidos, mas preferi o desenho da Lotus do Tony Fernandes, mais original.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: