Quando falta um pouco de vergonha na cara

Stefano Domenicali expressou ao mundo como é satisfatório dizer adeus a uma hipocrisia sem tamanho, no que se refere as ordens de equipe. Alegando que para a Ferrari, a F1 é um esporte de equipe e ela sempre defendeu esse ponto de vista.

Ok, Stefano, mas existem uma série de fatores a serem esclarecidos que são ridículos e um desrespeito a nós, fãs de F1. E nós, pelo direito que temos, vamos discuti-los agora.

Começando que apesar de que uma série de equipes já efetuaram jogo de equipe e favoreceram um piloto em detrimento do outro (Ferrari, Williams, McLaren, Jordan, Renault…) existe uma pitada de falta de consideração com a pessoa que acorda cedo no domingo, entusiasmado com ver uma boa corrida e uma definição na pista mas termina presenciando uma ordem de equipe, com a corrida sendo manipulada e o resultado modificado.

Independente do ponto de vista, não se nega que isso é uma falta de respeito para todos os que estão fora (e dentro!), pois fica claro que coisas do gênero tem o poder de mudar rumos de campeonatos.

O que me irrita na figura de Domenicali é seu baixíssimo senso com os fãs da Ferrari, que não são poucos e sustentam a base do merchandasing da marca. Apesar disso, parece que esses fãs (não todos, obviamente) pouco se importam, pois depois ou comprar uma miniatura do F10 edição Hockenheim de Alonso ou vão na inaguração do parque temático Ferrarista. E frisando que O Brasil possui a maior bandeira de Fórmula 1 do mundo com o símbolo da Ferrari.

Vejamos, esta não é a Ferrari que Dom Enzo gostaria de ver se  estivesse vivo (a política da Scuderia mudou ao longo dos anos pois Enzo jamais presenciou uma corrida novamente após ao morte do seu filho Dino em 1956) . Por isso, também, não entendo como Domenicali diz que a Ferrari sempre defendeu esse pontos de vista.

A verdade é que os interesses vão se sobrepondo na competição. Pelo menos a Ferrari possui três casos de ordem de equipe: San Marino 82, Áustria 02 e Alemanha 10. Duas surgiram efeito, exceto a de 1982, quando, perto de uma dobradinha, com Gilles Villeneuve e Didier Pironi, o time italiano ordenou que eles levassem as crianças para casa. O francês Pironi não obedeceu, ultrapassou o companheiro e venceu a corrida. Villeneuve ficou furioso. Após o GP, ele disse que nunca mais conversaria com o colega.

Uma prova de que pelo menos em uma vez, o piloto não se rendeu à Ferrari, passou e venceu mesmo com a fúria do seu companheiro de equipe. Pois não foi isso o que vimos em 2002 e 2010.

—-

Sinceramente, não tenho ideia de como a FIA irá supervisionar o esquema das ordens de equipe em  2011. Se com elas proibidas já se cometiam, o que irá ocorrer com tais valendo? Melhor evitarmos esse pensamento agora para não nos decepcionarmos com antecedência.

Vale também a falta de coerência da FIA e autorizá-las novamente. 8 anos atrás, quando elas estavam no regulamento como válidas, a Ferrari cometeu e estas foram proibidas a partir de 2003.

Agora, com as ordens de equipe proibidas, a Ferrari faz o mesmo e a FIA exclui o artigo que as proíbe. Por favor, alguém me explique aonde está a lógica disto.

Não duvido porém que a equipe de Maranello tenha exercido uma força extrema nos bastidores para a regulamentação delas. Com Todt no poder, a missão parece ter sido mais fácil.

Agora, quando Domenicali diz que é bom dar adeus a uma hipocrisia sem tamanho, este é um dos casos onde falta um pouco de vergonha na cara. E o pior que quem perde com isto somos todos nós.

61 respostas para “Quando falta um pouco de vergonha na cara”

  1. Encaro a permissão das ordens de equipe como uma evolução para a categoria. Quem vive o automobilismo por dentro sabe que o esporte a motor se trata de um esporte coletivo, em equipe. Assim como no futebol o torcedor fica frustado se o time joga na retranca quando lhe convem, mas no final do campeonato fica festeiro quando o time é campeão, o torcedor de automobilismo tem que começar a entender que não é possível correr o tempo todo agressivamente e que estratégia é fundamental.
    Noutras categorias é até comum pilotos tipo sprinters, blockers, wingers, etc. Sem contar que a F1, por essencia, é um campeonato por equipes. Nas ultimas decadas notaram que era mais lucrativo apostar na imagem do piloto e disvirtuaram a competição.
    Por isso, apoio as palavras do Domenicali.

    1. “Sem contar que a F1, por essencia, é um campeonato por equipes.”

      Essência tardia, pois o campeonato de construtores só começou a valer a partir de 1958. E a F1 é um dos poucos esporte onde a equipe possui dois concorrentes, pois o primeiro advesário a ser batido é o “companheiro” de equipe. E o piloto quer ser campeão. A equipe é o segundo plano.

      1. Eu sou a favor de liberar as ordens de equipe.

        Porém, quero elas sendo divulgadas no site da FOM como se fosse o live timing.

        Seria interessante. Aí sim, Srs. Domenicalli, Horner, Withmarsh, Brawn, Williams, Maliya e quejandos. Quero ver o quanto vai tuas caras de pau.

      2. “Porém, quero elas sendo divulgadas no site da FOM como se fosse o live timing.”

        Aí já é pedir por milagres Bruno, rs…

  2. Tudo tem um limite. O jogo de equipe é interessante, desde que um dos competidores ão tenha mais chances no campeonato, mas não deve ser feito como estamos vendo, de maneira escandalosa.

    Não sou contrário, caso a escuderia necessite. Da forma que foi com Kimi Raikkonen e Felipe Massa, até dá de relevar. O finlandês, que eu não acreditava, ajudou quando a situação inverteu. Agora, parar o carro, só para mostrar como funciona o negócio mesmo.

    Deve haver um controle, mas é uma das leis mais fáceis de se burlar.

  3. Será mais ou menos assim: Imaginem a Williams, Barrichello experiente, já rodou com a equipe por um ano, conhece todos, tem ajudado a desenvolver o carro de 2011. Agora imaginem Maldonado, chegando com malas e malas de grana, mesmo assim, tomando tempo do Barrica, aí num belo dia em uma prova qualquer,a equipe simplesmente manda um recado pelo rádio do Brasileiro; _Maldonado brought more money than you. You understand? …

    1. Como eu não entendo porra nenhuma de ingles, vou aceitar, que você escreveu, que a ordem é “Maldonado é um filhote do Chaves, Barrichelo, da um pau nele”.

      1. hehehehe…é quase isso Newton, na verdade diz: “Maldonado trouxe mais grana que você. Você entendeu?…kkkkkk

  4. Tomás, não ter punido o Alonso e a Ferrari esse ano, o correto é a máFIA retirar essa regra, o mundo ficou estarrecido pela falta da punição exemplar.

    Nós torcedores não sei se vibramos mais com a vitória do Vettel sem jogo de equipe ou a derrota do Alonso e o maldito jogo sujo da Ferrari.

  5. *Tomás, veja a série que comecei hoje em meu blog sobre o “jogo de equipe”, citando casos aceitáveis da prática, o que não é o que a Ferrari faz.

    **Os fãs italianos da Ferrari pouco se importam mesmo, os do resto do mundo que pensam um pouco mais nessas horas se essa é a equipe pela qual eles querem torcer.

    ***Creio que essa é a equipe que Dom Enzo queria sim, afinal “carros vencem corridas, pilotos perdem”. Massa estava perdendo corridas e, por isso foi necessário fazer com que Alonso o ultrapassasse.

    Abraço

    1. disse tudo Renan.
      e sinceramente eles (torcedores italianos da ferrari tão mais é certos mesmos)
      o resto é conversa fiada
      lugar legal pra divã, carinho, chorar as magoas é a cama

  6. Aos fãs de Alonso e Schumacher sobrarão oportunidades para maldizer os seus respectivo pilotos companheiros. A porca torceu o rabo e a F1 escancarou de vez com a falta de respeito ao torcedor. A F1 de hoje é na base do que quem pode mai$ chora menos, subentenda-se o que pode mais sempre a frente do companheiro de equipe. Perfeito para as já nominadas segundas vagas de equipe. Virou um mercado.
    Só tenhamos paciência com nosso conterrâneo mais próximo, sobre os efeitos das tão afamadas ” decisões de equipe”. De mais a mais que nosso conterrâneo tenha sorte e volte a boa forma já mostrada, onde por pouco quase obteve seu 1.º título, mas que pelas decisões de equipe ou falhas dela ficou a ver navios.

    1. “Perfeito para as já nominadas segundas vagas de equipe. Virou um mercado.”

      É, nos sites de F1 vemos frequentemente esse título: … Hoje, análise de como está o mercado de pilotos para 2011…

  7. A seguir vou deixar o mesmo comentário que deixei no blog do Renan – Por fora dos Boxes:

    “Essa coisa toda me fez ter uma raiva da Ferrari gigante. Não consigo nem torcer para o Massa que está lá. Não gosto de nada relacionado a Ferrari, até a miniatura do F-310 eu me desfiz…

    A Ferrari só não arranhou mais a imagem da F1 pois a F1 é muito maior.”

    1. A Ferrari, realmente Júlio, está perdendo um pouco a credibilidade na F1. Mas a maioria continua comprando merchandasing, torcendo e sustentando esse império, sem contas as pessoas ricas que compram Ferraris como um saco de arroz no mercado.

  8. Bem, eu odeio a Ferari , mesmo e esse ano tive mais um motivo pra odiá-la…rs
    É assim quando uma equipe acha que é maior que a F1…

    1. Historicamente ela é a maior da F1.

      É a equipe que tem mais títulos de pilotos, de construtores, vitórias, Pole-Positions, melhores voltas, pontos, pódios, voltas na liderança e Grandes Prêmios.

  9. “Os fins justificam os meios”
    Nicolau Maquiavel

    Domenicali é apenas +1 a limitar-se a essa a linha de pensamento tão fraco.

    1. a historia mostra o contrario, inclusive nossa ultima eleição para presidente, notavelmente verdade isso.

      1. Para definir o que ocorreu na última eleição, é preciso ver a pessoa que está atrás, fez campanha e ajudou a ter a vitória assegurada para a candidata.

  10. Parece que o principal nessa historia toda, é que tem sempre um brasileiro envolvido, e como a torcida pelos brasileiros é quase sempre negativa, o pessoal acaba confundindo ordem de equipe, com dor de cotovelo. O Sr. Domenicali, nunca me pareceu um bom chefe de equipe, é só avaliar como a Ferrari se perdeu em situações importantes e acabou fazendo um de seus pilotos e as vezes até os dois perderem uma corrida. O cidadão, tem cara de cafageste, aqueles oculos de mau gosto, cara de chefe de repartição publica, que abusa do poder e leva a eficiencia para o vinagre. Como querer ganhar um campeonato, se um piloto, seja ele brazuca ou não, já sai em desvantagem, se é um novato, pode até se sujeitar por algum tempo, mas um piloto mais rodado, seja ele de que país for, vai se sentir desestimulado a se arriscar, forçar mais uma ultrapassagem, exigir mais do carro, enfim, bom piloto ou não, vai se tornar mediocre. Se é para usar essa estratégia “burra”, que cada equipe entre com apenas um piloto na pista, pronto, tá resolvido, eu quero que você ganhe, então se vire, seja tudo o que dizem, que você é, ganhe a corrida, faça as ultrapassagens, lute por uma vitoria até o fim. Já que é para ficar com apenas 10 ou 12 pilotos em condições de realmente dar o melhor, que fiquem apenas eles no grid, a economia vai ser gigantesca, e nós os fãs, não vamos sentir aquele gostinho amargo de sermos derrotados pelo radio da equipe, ou por um contrato safado assinado no escuro dos bastidores. Eu só espero, que o pessoal, para justificar o jogo de equipe, não continue confundindo corrida de FI., com corrida de bicicleta , pelo amor de Deus, ai já é demais.

    1. Grande Newton,

      Você definiu de forma simples o que venho tentando explicar a muito tempo.

      Essa idéia de apenas um carro por equipe seria a grande salvação da F1, pois a disputa seria verdadeira e emocionante, além de possibilitar a entrada de novas equipes com a sensível diminuição dos custos.

      A F1, ao contrário do que alega a Ferrari, não é, primordialmente, uma competição entre equipes, é uma competição entre pilotos.

      Esse papo de que as equipes se importam mais com o título de construtores do que com o título de pilotos é a maior conversa fiada que eu já ouvi.

      O título de construtores dá mais grana no final do ano, mas, a visibilidade vai toda para o título de pilotos.

      A F1 não sobrevive da rivalidade entre equipes e sim da rivalidade entre pilotos.

      Os maiores duelos da história da F1 estão ligados a grandes rivalidades entre pilotos e não entre equipes: SennaXProst, PiquetXMansell, SchumacherXHakinnen, SchumacherXAlonso, HamiltonXAlonso e assim por diante. Tanto isso é verdade, que o maior entre todos os duelos ocorreu dentro da McLaren entre Senna e Prost.

      Outro fator que comprova esta tese é o fato de que equipes sem nenhuma tradição entraram no gosto do público, que torceu por elas, contra equipe tradicionais, sem nenhuma objeção. Casos de RedBull e Brawn GP para ficar em dois exemplos recentes.

      Só a Ferrari e alguns babões italianos consideram a equipe de Maranello como mais importante do que a F1 e torcem apenas por ela e não pelos pilotos.

      Quem gosta de F1 pode até admirar a Ferrari, torcer mesmo pela equipe, mas não aprova essa babaquice de que a Ferrari é mais importante que os pilotos. Sem bons pilotos meus caros amigos, não existe F1, aliás, nem Ferrari (vide a performance ridícula de Luca Badoer), já sem Ferrari…

      1. Newton e Cassius:

        Essa sugestão de que as equipes poderiam ter um carro apenas me abriu uma janela para escrever uma postagem. Acham que seria bom discutir isso mais profundamente?

      2. Você esta certo Tomas, vamos aprofundar a discussão sôbre a possibilidade de haver apenas um carro por equipe. Eu acho a solução perfeita para a FI atual.

  11. formula 1 eh composta por equipes que tem que tomar decissões como esta se for necessario sou a favor porque amanhã um beneficiado pode ser um brasileiro….

    1. É o ultimo GP, o piloto precisa chegar em uma posiçao “X” para ser campeão, seu parceiro de equipe já não tem mais chances de atingir o titulo e esta a sua frente. Sim, ai eu concordo, não sendo assim, qual o prazer de pensar, que esta torcendo por alguém, que desde o começo da temporada já esta excluido do titulo, só porque a equipe decidiu, que nesse ano, o titulo vai para outro. Volto a repetir, se for para correr assim, seria melhor apenas um carro por equipe, pois ai teriamos certeza de torcer por alguma coisa. Fazer jogo de equipe uma temporada inteira é um desproposito e é isso, que a Ferrari tem em mente, quando defende o jogo de equipe, você há de convir comigo, que assim é jogo sujo e tira o brilho da competição e com certeza o titulo por equipe, pois o segundo piloto, perde o entusiamo, se o objetivo é a equipe, deixa os dois se pegarem na pista, até onde for possivel, só então, deve prevalecer o jogo de equipe, se necessario.

  12. A Ferrari de Domenicali se perdeu no meio do caminho, tanto que nem os ótimos tempos de troca de pneus de antigamente ela consegue mais, essa ficou com a Red Bull que é muito mais eficiente. Então, a italiana apela para o jogo de equipe para tentar ficar a frente dos oponentes, é lamentável. Já torci pelo “cavalinho rompante”, hoje não torço mais!

    1. “essa ficou com a Red Bull que é muito mais eficiente.”

      Na verdade o trabalho no pit stop mais eficiente de 2010 ocorreu na Mercedes (mas não pareceu…)

      1. ow tomas, o massa nem tinha muito, apenas botaram as coisas no devido lugar

      2. Sim, o melhor foi da Mercedez, mas considerando todas as provas do campeonato, a Red Bull se deu melhor!

  13. O maior problema aqui no Brasil, e que o pessoal sempre acha, que jogo de equipe tem a ver com Massa, Rubens, etc…….quando na verdade não é assim, esse jogo, acaba com o esporte e qualquer piloto pode sair prejudicado. Assim fica dificil, toda vez que se fala em FI., o pessoal já começa a destilar veneno contra os nossos pilotos, esqueçam eles, e discutam a FI., como esporte e lazer e não como magoa contra os brazucas, que não chegam lá, a FI., tem os atores principais e os coadjuvantes, mas no cinema coadjuvante, tambem ganha Oscar, por que não na FI., lembram do Webber na ultima temporada, por pouco não chega lá e forçou o Vettel a se virar, não foi mais legal assim?

    1. Pura verdade, só que ocorre, e isso já se sabe a uns bons anos, que certos pilotos trazem mais pontos de vista e discussões do que outros, os tais chamados secundários.

    1. Vocês queriam o quê??? Que a Ferrari, agora, lamentasse a decisão? Façam-me um favor. Hipocrisia é insultar o Domenicali por ele manter a palavra dele. Vamos torcer pro Massa ser o primeiro piloto e não para que tenha algumas vitórias apenas. Tem que ganhar desde o Bahrein, amigos, impôr-se. Ele já fez isso em 2008 contra o campeão do mundo! 95% do que está acima, na minha opinião, é hipocrisia.

      1. Luis, hipocrisia, seria eu concordar com alguma coisa, só porque um figurão de qualquer lugar do mundo disse, que assim é que tem que ser. Isso não seria hipocrisia, seria falta de personalidade. Maria vai com as outras eu nunca fui graças a Deus, e não iria começar agora. Eu assisto FI., a muito tempo para saber, que os resultados são manipulados e isso vem piorando com o passar do tempo, talvez seja como a corrupção no Brasil, passou a fazer parte da cultura e você a de concordar comigo, que manipular não é a maneira correta de se jogar, até porque o jogo perde a graça, deixa de ser jogo e se torna algo bizarro e sem sentido. Eu torço para que a FI., acorde e que chegue o dia em que 30 pilotos comecem o ano disputando o titulo da categoria, você vai ver, que quanto mais gente disputar, mais emocionante vai ficar e a monotonia, que hoje vemos nas corridas, sera substituida pelas brigas e lutas pelo pódio.

  14. Luiz, me desculpe mas você não entendeu o propósito do post.

    Domenicali defende um ponto de vista hipócrita, que é o das ordens de equipe. Seria bom perguntar ao Massa para ver se ele gosta disso…

    1. Eu entendi perfeitamente. O propósito foi analisar a fala de Stefano. Ponto. Nada mais digno para um blog. Mas considero hipocrisia esculachar com ele pela opinião dele, sendo que todos tinham conhecimento dela.

  15. Quero pedir desculpas se, por acaso, ofendi a alguém. Principalmente ao autor do blog, nunca tive essa intenção. Não quero apagar o que escrevi, porque continuo achando isso, mas, talvez, fui um pouco grosseiro nas minhas palavras. Considerem-as não como uma raiva desabrochada, mas como um crítica de um fã de F1, assim como vocês. Obrigado.

    1. Luiz, não precisa pedir desculpas amigo. Aqui todos são livres de opinar, é um espaço democrático e se todos concordassem sempre seria até um pouco apático. Respeito sua opinião naturalmente.

  16. O jogo de equipe só não foi bom pro Alonso enquanto piloto da McLaren, tendo como companheiro o Hamilton! Mas, quando o bebê chorão foi prá Renault e depois prá Ferrari, áh!, aí ficou uótimo!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s