Porque os qualifyings perderão importância

Uma conversa que vai se disseminando no paddock aos poucos, e que é sustentada pela implantação da Asa Traseira Móvel, trata-se da diminuição da importância dos treinos classificatórios de sábado para a atual temporada. Com alguns pilotos e chefes de equipe já sustentando esse pretexto vale analisar o que irá mudar neste quesito em 2011.

A verdade acaba sendo que em 2010 nós tínhamos a asa-duto (ideia autêntica e original patenteada pela McLaren e logo depois copiada pelo resto das equipes), que tinha praticamente o mesmo papel que a Asa Traseira Móvel- Diminuir o arrasto nas retas e aumentar a velocidade do carro para ajudar em uma ultrapassagem. A diferença acabava sendo que os dois carros, tanto o da frente quanto o de trás, podiam fazer uso dela e ultrapassar se tornava mais complicado.

O erro é que com a obsessão de que as corridas tenham mais ultrapassagens vemos esta ideia da FOTA se tornar realidade e tornar as corridas artificiais- O que certamente dará emoção pois teremos trocas constantes de posições, mas não será um show verdadeiro e justo- O piloto da frente não poderá acionar a asa móvel e isso se transforma em uma desvantagem desleal com o outro carro.

Assim, automaticamente a importância do qualifyngs irá diminuir drasticamente- Com os carros de trás tendo a oportunidade de usar a asa e o da frente não, o Pole Position será uma vítima muito mais vulnerável do que o normal.

Em suma, obviamente que sempre é importante ser Pole Position, mas essa importância será bem menos em 2011, largando na primeira, segunda ou até terceira fila e aliando isso a o potencial de um bom carro existirão chances de vitória.

Uma boa notícia para equipes médias como Renault e Mercedes e as do pelotão intermediário- será ali onde teremos a maior quantidade de ultrapassagens nas corridas. No hipotético Top 3, que compreende Red Bull, Ferrari e McLaren, haverá igualdade mas ultrapassagens entre os pilotos top serão bem mais comuns.

A ATM termina tendo um lado positivo de aumentar ultrapassagens e outro negativo, de que estas irão ser artificiais. Com a importância dos qualifying menor, será o Pole Position quem estará mais preocupado- e isso tende a ser uma emoção extra nos domingos de manhã.

40 comentários em “Porque os qualifyings perderão importância

  1. A importância pode até ser reduzida, mas não tão drasticamente assim. Nas duas primeiras voltas o uso do recurso não será permitido, portanto, os pilotos poderão conquistar uma certa vantagem em relação aos rivais.

    Na maioria das corridas, o líder consegue uma vantagem de 2, 3 segs ao final da segunda volta.

    Pode ser que as primeiras corridas nos levem a pensar exatamente o contrário: a importância aumente, para que os pilotos possam abrir uma distância maior e evitar ser ultrapassados.

    • Com a equivalência de forças não será tão fácil abrir uma vantagem satisfatória em 2 voltas. É um tema a ser discutido mas, por exemplo, na hora das paradas nos boxes (se rumoreria que este ano serão duas, e não a opção de uma como em 2010) ou quando for acionado o Safety Car os carros ficarão próximos.

      Até porque o Pole também faz sua parada e pode se encontrar com carros do pelotão intermediário, ser ultrapassado e perder tempo até realizar a investida.

      • Assim como todos os outros…

        Não concordo com esse argumento Tomás. Em geral quem faz a pole tem o melhor carro e ponto.

        A questão ATM vai facilitar para carros de ponta que por ventura tenham problemas (de estratégia? Vide Alonso atrás do Petrov) se livrarem de carros mais lentos ARTIFICIALMENTE a sua frente.

      • O melhor carro do ano de 2010, foi sem duvida alguma a RBR., e mesmo assim a McLaren, Ferrari e até a Willians fizeram pole, portanto Will, o seu argumento, tambem não se sustenta. Na verdade, como a luta pela pole é uma corrida de tiro curto, deveria mesmo, era render ponto a quem a conquistasse, com ou sem ATM., essa possibilidade é um dos assuntos menos discutidos na FI. Por que?

  2. A cada dia vemos que essa coisa de ATM está só atrapalhando a F1.

      • Sim, é só ver quantos problemas nós já enxergamos, e quando começar, será pior. Acredite.

  3. Tomás, a FIA já esclareceu a regra na largada? Só o pole ficará sem usar esse negócio, ou só o último ira poder usar?

    • Nas duas primeiras voltas nenhum piloto poderá usar. Ou seja, na largada todos também estarão proibidos de acionar a asa.

      • Mas na terceira volta só o lider não podera usar? Coitado.

  4. Lamentável, falso, sujo.
    Será que 2010 não teve emoção suficiente?

  5. a atm ira sem duvida alguma alterar drasticamente as corridas. Fico pensando se algo semelhante a spa, onde o rb6 humilhou todos os outros, acontecer. com um carro tão superior e esse artifício para facilitar as ultra-passagens, mesmo largando na ultima fila esse piloto terá chances reais de ganhar a prova

    • Verdade, pode ficar parecido com a época dos motores turbos x aspirados onde as McLarens voavam!

  6. Sempre que FIA aparece com uma novidade dessas, que muda regulamentos e altera o principio da disputa, todos ficamos preocupados. Não acho esportivo, permitir que alguém use um recurso para melhorar a performance, enquanto o mesmo beneficio é negado a outro. Não é justo e não soma nada a disputa. Pode ser, que com o inicio da temporada, venhamos a constatar, que o artificio foi superado por outros, e que, a criatividade dos projestistas, mais uma vez, superou a falta de esportividade, que a FIA insiste em impôr a FI.

  7. A implantação da ATM assim como a troca da borracha mais o Kers serão mudanças razoaveis no regulamento de 2011, dando uma pequena chance de alguma equipe dar um salto tecnico com relação ao ano anterior mudando um pouco as forças. Por esse motivo sou a favor, pois se o regulamento fosse inalterado saberiamos que a Red Bull iria triturar os adversarios. Agora voltando ao tema ainda acredito que o Pole leve uma boa vantagem com relação ao resto, e tb não acredito que teremos uma enxurrada de ultrapassagens como muitos acham. As equipes grandes acharão ou tentarão um jeito de evitarem ser ultrapassadas facilmente, provavelmente com o uso do Kers ou algum recurso aerodinamico. De qq forma é esperar pra ver, estou ansioso !!!

    Abs.

  8. Peraí galera, tem um coisa no raciocínio de vocês que eu não estou entendendo: o uso da ATM não será restringido para os que forem ultrapassados.

    Melhor explicando:

    Vetel está em primeiro e é ultrapassado por Hamilton que está em segundo devido a ATM. Vetel poderá se utilizar da ATM para dar o troco assim que estiver atrás, portanto, a corrida será um show de negociações de ultrapassagens.

    Me desculpem os puristas, mas, prefiro um show de várias ultrapassagens (mesmo que alguns considerem artificiais) do que uma corrida monótona com vários carros parecendo um trenzinho (ou seja, decidida no sábado da classificação).

    Ademais, não se enganem, pilotos mais agressivos (como Hamilton) terão vantagem, pois mesmo tendo a ATM, muitos pilotos serão medrosos e pouco arrojados para usá-la, ou seja, quem tiver mais coragem e habilidade vai ter uma arma para lutar contra os pilotos conservadores ou pistas travadas.

    E não se enganem, não existe equilíbrio na F1 que justifique esse raciocínio de que a ATM é injusta com o piloto que estiver a frente.

    A F1 por excelência é injusta, pois existem diferenças de orçamento entre equipes de até 200 milhões de euros anuais. A ATM pode possibilitar um equilíbrio que dependerá muito mais do arrojo do piloto do que dos milhões da equipe e tudo que dê ao piloto o poder de decidir melhora o espetáculo.

    • “Vetel está em primeiro e é ultrapassado por Hamilton que está em segundo devido a ATM. Vetel poderá se utilizar da ATM para dar o troco assim que estiver atrás, portanto, a corrida será um show de negociações de ultrapassagens.”

      Eu levei em conta esse raciocínio sim Cassius. Mas mesmo que depois possa se fazer a investida, um tempo será perdido atrás de um carro, talvez, mais lento- a ATM só poderá ser usada nos últimos 300 mts de uma reta.

      Mas não concordo com você quando diz que a ATM não será injusta- claro que será, afinal, você estando na frente e não podendo usá-la é algo injusto. Afinal seu adversário está usando uma peça que você não tem para tirar benefício.

      E o orçamento nada tem a ver com isto, as equipes que tem pouco orçamento, digamos, “é problema delas”. Acho que ali já saímos da linha de raciocínio da ATM.

      “A ATM termina tendo um lado positivo de aumentar ultrapassagens e outro negativo, de que estas irão ser artificiais.”

      É isso o que eu penso- Tem um ponto bom, de aumentar as sonhadas ultrapassagens, e o negativo, de elas serem artificiais.

      Ultrapassar NUNCA foi fácil e é por isso que uma ultrapassagem é tão festejada- principalmente quando está em jogo a liderança. Agora me dá impressão de que a FOTA quer fazer de tudo para aumentar seu número e deixa o jogo mais fácil para os pilotos- e não tem que ser assim.

      Queria ver se nas 3 primeiras décadas da F1 os pilotos tinham tantas frescuras.

      Em suma, sou contra. Ultrapassar não é fácil e não tem que ser.

  9. boa noite companheiros. Tomas mas a FOTA nao pode se unir e parar com esta hipocresia da FIA de ditar as regras? Concerteza que esta historia de asa movel nao agrada nada. Nos nao queremos corridas artificiais mas sim corridas e ultrapassagem reais. Esta FIA junto com Bernie Eclestone ja estao echendo o saco…

  10. “claro que será, afinal, você estando na frente e não podendo usá-la é algo injusto. Afinal seu adversário está usando uma peça que você não tem para tirar benefício.”

    Não concordo Tomás, como a ATM poderá ser injusta se todos poderão se utilizar dela? Não há sentido nesse raciocínio uma vez que todos os pilotos irão se utilizar do dispositivo.

    Mas, vamos esperar ela funcionar para ver o que dá, talvez vocês tenham razão.

    • “Não concordo Tomás, como a ATM poderá ser injusta se todos poderão se utilizar dela? Não há sentido nesse raciocínio uma vez que todos os pilotos irão se utilizar do dispositivo.”

      Todos podem usar, mas não sempre. A asa duto era democrática e justa, afinal tanto o piloto da frente e o de trás podiam usar. Mas como não tivemos tantas ultrapassagens afinal o ganho não era tão grande, decidiram radicalizar com a asa móvel e proibir o uso do carro da frente.

      Uma medida desesperada para ter mais ultrapassagens. No mais emocionante, deveremos ter um troca-troca interminável- Piloto de trás passa. Piloto de trás fica na frente e é ultrapassado pelo de trás novamente.

      Não sei. Mas creio que em algumas corridas teremos um jogo contra o relógio.

      Espero, realmente, que a ideia dê efeito. Mas agora o melhor piloto será o que puder se defender melhor, e isso não chega a ser tão tentador.

      • Podem esperar, vem muita porcaria por ai. Ultrapassagem esta para a FI como o gol esta para o futebol, quando a briga é boa a ultrapassagem é comemorada pois foi batalhada. Sera, que vamos sentir o mesmo prazer em ver uma hispania ultrapassando um Mclaren, só porque o Hamilton naquele momento esta em desvantagem, quanto ao uso de determinado equipamento. Eu acho, que não, mas para quem gosta de gol de mão como os argentinos, deve ser emocionante.

  11. Acho que essa regra vai ser uma zona. Mas já que vai, vai.

    Penso que muitos pilotos devem errar pontos de freada com a velocidade a mais também. Nersse sentido vai ser interesante.

      • O piloto da frete retardará a freada na tentativa de se defender.

        O de trás chega mais “solto” com a velocidade maior no fim da reta, por conta da pressão reduzida.

        Se a diferença entre ambos não for absurda, acho que pode até ser interessante: ambos terão que segurar o carro, cada qual na sua condição, no ponto de freada.

        Mas ainda parece confuso demais.

  12. Será que não está na hora de o pole position ganhar um ponto por ela?

      • Temos que ver se teremos mais mudanças na pole, senão a RBR seria muito beneficiada.

      • Sim, ali está um problema. Mas a esperança, e eu já disse e espero isso, é que as forças estejam mais equilibradas em 2011.

  13. Se o pole ganhar um pontinho , e red bull vir forte como no ano passado, concerteza que até a metade do campeonato a red bull será campeã e o titulo fica entre Vettel e Webber….

    • Mas ai então, valera todo o esforço, que pilotos e equipes fazem para conquistar a pole. Como esta, é apenas uma vantagem de colocação no grid, que as vezes se perde na primeira curva. Eu acho, que o ponto para o pole, faria justiça a todo esse esforço. Melhor ainda, seria, inverter o grid de chegada da corrida anterior, então as equipes que chegaram em primeiro, sairiam nas ultimas posições, com a vantagem de possuirem carros melhores, o que não faltaria é ultralpassagens, já pensaram numa possibilidade dessas. Com certeza ia ter muita briga por posições, nesse caso a ATM se justificaria plenamente.

    • Vamos ver os prós e contra. Mas acho que existe mais prós do que contra a medida.

      • Eu também. Já fiz um retrospecto do que mudaria se fosse utilizado esse sistema nos últimos 5 anos. E um campeão já seria diferente.

  14. Se teriamos um campeão diferente, é sinal, que a pole não valeu muito, sendo assim, não acho muito justo, que o piloto só perca um campeonato porque seu esforço em todas as situações não foi devidamente valorizado pelo regulamento.

  15. Pingback: E se a Pole Position valesse 1 ponto? « Blog Fórmula 1

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: