Lotus sob pressão…

Não é de hoje que se sabe o quanto a Lotus está esperançosa para dar o “salto de qualidade” já na sua segunda temporada. Em 2010 o ano foi positivo, levando em conta a áurea de inferioridade das novatas, mas em 2011 os planos são diferentes- Lutar por pontos. Mais do que isso, até, que já se torna uma pressão de terceiros na equipe de Tony Fernandes.

A grande novidade gira em torno dos potentes motores Renault e o sistema hidráulico da campeã Red Bull- é uma excelente receita, mas que necessita de um bom carro para se efetivar. Mike Gascoyne disse que o projeto tem um design moderno e que estará no meio do grid, correndo contra Toro Rosso, Sauber, Force India e Williams.

Podem ser sonhos altos para uma equipe que ficou 1 segundo atrás do pior carro “intermediário” a maioria das vezes, mas na verdade existe uma pressão em torno de um sucesso rápido do Team Lotus.

Riad Asmat, diretor-executivo da Lotus, termina sendo um pouco mais realista do que Gascoyne nesse ponto:

Neste ano, nossos sócios estão no meu pescoço dizendo que é hora de pontuar.

Os “sócios” são a Kamarudin Meranun e a empresa SM Nasarudin, onde visando 5 anos, foram investidos cerca de R$ 134 milhões.

É uma dúvida curiosa da maioria dos insiders: Será que a Lotus conseguirá pontuar em 2011?

Sinceramente, eu acredito que sim- O carro parece ter potencial, hipotético, suficiente para beliscar alguns pontos, mas ainda tudo termina sendo na base da hipótese. As boas notícias são que o carro não está atrasado e já estará na pista desde o dia 1.

A rivalidade direta será, sem dúvida, com a Lotus Renault- onde as duas partes travam um processo jurídico gigantesco. Sem dúvida teremos algumas brigas nos bastidores proximamente.

Dito isto, o que vocês acreditam que a equipe que terá Kovalainen e Trulli como titulares irá conseguir em 2011?

11 respostas para “Lotus sob pressão…”

  1. Acredito que o carro seja bom, dando chances á seus pilotos de marcarem pontos. O problema é ver se esse fazem sua parte…

  2. Estão contratando pessoal qualificado a ponto de tirar engenheiros da Mclaren e Force India, estão construindo seu próprio túnel de vento, estão com pilotos não pagantes com experiência para desenvolver seriamente o projeto… Vendo pelo lado técnico é uma equipe séria que deseja competir com os demais. Estarei torcendo pelo sucesso deles neste ano.

  3. Difícil dizer por três motivos: primeiro, que ninguém sabe como será o carro; segundo, porque o bolo de equipes médias aumenta a cada ano. Tendo como referencial o ano passado, tirando os carros das três grandes (Red Bull, Ferrari, McLaren), tivemos Mercedes (mais próxima das grandes), Renault, Williams, Force India e Sauber. Só essas equipes ocupam 16 postos, isso numa época em que os carros quebram muito pouco. Podemos acrescentar ainda uma Toro Rosso. Não foi à toa que a Sauber demorou para pontuar, mesmo tendo um carro minimamente competitivo no início do ano. Ou seja: ou a Lotus constrói um bom carro, ou espera por uma corrida-lotérica e torce para ser uma das sobreviventes.

    Terceiro e último motivo: grana para desenvolver o carro pode complicar ainda mais a missão. COm exceção da Sauber e Williams (duas equipes com estrutura de grandes), a tendência de times médios com orçamento curto é de queda de performances de bons projetos ao decorrer da temporada por não contarem com recursos na corrida por aprimoramento dos bólidos. Não foi por outro motivo que Force India e Toro Rosso somaram a maior parte de seus pontos no início da temporada.

    Enfim, apesar da Lotus ter feito um belíssimo trabalho dentro das complicadas condições com que estreou; apesar de ter demonstrando um planejamento sólido (por exemplo, subistituição dos cosworth e do sistema hidráulico); apesar da escolha sensata por pilotos experientes ao invés do fácil recurso de pilotos pagantes (vide Hispania, que vai repetir a infeliz receita); e, por fim, apesar de minha insignificante torcida pelo projeto de Tony Fernandes, a missão é muito, mas muito dura. Os concorrentes são fortes e com muito tempo de estrada; lembremos que a Lotus veio do zero.

    Abraços.

    1. Nossa Vitor…. você praticamente dissecou a situação por completo. 🙂

      Em outras palavras, ou “acerta mão” no desenvolvimento inicial para ter um bom carro e aproveitar o bom momento enquanto puder ou fica na torcida por uma corrida lotérica e aproveitar como der as chances que (se) vierem.

      [ ]’s

    1. Aqui em casa não, está a mesma coisa. Só estranhei que quando entrei agora esse post tinha sumido, e o da Ferrari estava no topo. :S

  4. Sinceramente acho que a Lotus vai sim conseguir pontuar, principalmente pelos motores Renault que na minha opinião são os melhores do Grid nos ultimos 2 anos (Apesar da falta de durabilidade), Em questão de Volante, Trulli Vai ter mais uma oportunidade de mostrar a todos porque está na formula 1 a tanto tempo ( pra mim é uma incognita até hoje), e Kovallainen de Tentar algo melhor para o Futuro.

    Resumindo, Acredito muito na Lotus..Force India e Toro Rosso que se cuidem..

    Abração Tomás

  5. Acho que com as melhores condições e estrutura para o próximo ano, se construir um bom carro, dá de melhorar ao longo do ano, conseguindo somar pontos durante a temporada. Mas depende da qualidade do próximo carro.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s