Sobre o escapamento frontal da Renault

Uma das maiores polêmicas depois do lançamento do Lotus Renault R31 foi a colocação do escapamento no modelo de Kubica e Petrov- Alguém teve a ideia de colocar o escape abaixo do sidepod e não na parte traseira, geralmente fica próximo ao motor, como vemos normalmente.

Assim que chegaram mais informações sobre a novidade (chamada de FEE -Front Exhaust Exit – Saída frontal de escapamento) houve uma surpresa geral a quanto esse risco irá custar no desempenho do próprio carro- pois seguramente essa solução diferencia está aliada a outros perfis do carro. E mudá-lo seria, agora, um perigo para a estabilidade do modelo.

O sempre técnico Craig Scarborough, do excelente Scarbs F1, trouxe uma explicação mais detalhada da solução encontrada pelos engenheiros do Renault:

Para que um difusor crie downforce ele precisa do maior fluxo de ar possível passando por ele. Os times encontram uma série de dispositivos aerodinâmicos para criar uma região de alta pressão ao redor do assoalho para garantir o maior fluxo sob o difusor.

Isso vai então para toda a extensão do difusor para que esse fluxo de ar possa passar por ele. Os difusores do ano passado aumentaram a pressão na parte de trás do carro, mas não na área à frente do assoalho.  O que a Renault fez foi deixar a saída do escapamento entre os “sidepods”, os chassis e os radiadores, direcionando-a para o início da entrada do fluxo de ar do assoalho. Isso acelera o fluxo de ar debaixo do assoalho para uma maior massa de ar e também mais downforce.

A ideia basicamente se reflete em acelerar o fluxo de ar não mais para o difusor, mas sim para o assoalho. A questão é- com esta mudança do fluxo dos escapes abaixo do sidepod, é provável que ocorra o efeito contrário- o carro corra mais lento por um desequilibrio ou mau funcionamente dessa ideia.

Portanto será fundamental, a príncípio, estudá-la ao máximo até se ter conhecimento de todos os seus benefícios, algo que em Enstone já deve ter sido estudado, mas apenas hoje na pista real. A solução poderá ser copiada sem maiores problemas pelas outras equipes se der certo, mas ainda é preciso esperar.

O que se sabe é que, se efetivar o sucesso, a ideia de Rob White, chefe de engenharia da Renault, além de simples e genial, pode dar uma vantagem (porém não se sabe de quanto tempo aos escapamentos normais) inicial muito importante.

22 respostas para “Sobre o escapamento frontal da Renault”

  1. Interessante. Eu já havia, na primeira foto do carro, notado algo diferente em baixo do difusor, até comentei no blog, mas n sabia o que era.

  2. Eu acho uma mudança arriscada e sem “malícia”.

    Se der certo, foi mostrada cedo demais. As outras equipes tem tempo de copiar.

    Mas do jeito que foi concebido, parece arriscado pois joga fluxo de ar quente – que é turbulento – numa área do carro onde o fluxo de ar precisa ser o mais comportado possível (na disciplina de fenômenos de transporte, diríamos o mais laminar possível).

    A falta de malícia que quero dizer era que eles poderia ter colocado na traseira do carro uma saída de escapamento falsa.

    1. O risco existe sim. Não posso dizer o quanto pois não tenho dados sobre a temperatura e velocidade dos gases que saem do escape.

      Vamos combinar também. O difusor é a peça que começa na roda traseira e termina atrás. O resto da parte inferior é o assoalho.

      É… depois do banimento do difusor duplo, fazer o ar passar por cima do difusor já era. Esquece.

      A impressão que fica daqui (aí é opinião muito suspeita) é que eles querem criar uma espécie de vedação das laterais do carro usando ar quente. O não dá para ver é se tem algum sub-relevo no assoalho que organize mais ou menos esse ar-quente que sai do carro, ou até se é permitido isso.

      Com isso, eles mais ou menos conseguem o que não é feito de dos tempos dos carros-asa (monopostos com efeito solo). Recriar um efeito solo muito rudimentar.

  3. Não acredito que os engenheiros da Renault não pensaram na possibilidade de o ar quente “desorganizar” a passagem pelo assoalho do carro! Creio que existe muito mais coisa escon dida neste escapamento do que imaginamos!!

      1. Falta de malandragem dos caras. Deviam colocar escapamento falso na traseira do carro.

      2. Bruno:
        O problema é o peso a mais prá colocar um escapamento falso! Mesmo que seja só uma pontinha, imagina a diferença de rendimento do carro.

      3. Poxa André.

        Quis dizer, uma abertura fingindo ser o escapamento.
        —————————————————————————————————
        Tava lendo o posto do Craig Scarborough e tem outra coisa que chamou a atenção:

        O cuidado que se deve ter com a solução. Porque ela deve passar gás quente (segundo ele até 800ºC) perto de radiador (que tem a função esfriar coisas), deve passar junto a componentes eletrônicos.

        Vixxi. Boa sorte para a equipe Lotus-fake. Mas se der certo, vai pegar muita gente de calças curtas.

  4. Ross Brawn ja admitiu estudar a ideia e melhora-la. Noticias dão conta que Mclaren tb gostou da ideia.

  5. Se der certo todos irão copiar, se não a Lotus se ferrou. Temos que esperar. Na pré temporada será dificil prever algo. Mas acho que não dá certo. Se fosse ano passado, onde tinhamos o disufor duplo, não era tão necessário o uso do escape soltando o ar nele. Agora é quase uma regra, mas eles arriscaram.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s