Por que o RB18 não conseguiu terminar sua primeira corrida?

Fonte: Getty Images

Como uma das equipes que mais fez voltas durante os testes, a Red Bull estava certa da confiabilidade e desempenho do RB18. O que ninguém esperava era que faltando pouquíssimas voltas para o final do GP do Bahrein ambos os carros da equipe abandonassem a pista.

Em primeiro momento o rumor que circulou pelo paddock era que as Red Bulls teriam parado de funcionar por falta de combustível. Notícia essa que causou espanto entre os fãs do esporte, afinal teria a equipe dos energéticos que espera manter o número 1 no carro do seu campeão, cometido um erro tão básico de não abastecer seus monopostos com combustível suficiente para completarem a corrida? 

Mas como já confirmado por Christian Horner, chefe da equipe, apesar das unidades de potências dos RB18 estarem sedentas, havia sim combustível para que eles terminassem a corrida e garantisse pontos preciosos para a RBR. De acordo com o apurado pela jornalista Julianne Cerasoli havia cerca de 13kg ainda no carro de Verstappen.

A teoria mais provável é que o RB18 tenha sofrido com problemas relacionados à temperatura do combustível. A temporada 2022 marca a estreia do E10, combustível com 10% de etanol na sua composição e o domingo foi a primeira vez que ele foi exposto a condições reais de corrida. 

O E10 opera com temperaturas mais altas o que gera um desafio para as equipes do grid, que são proibidas pelo regulamento de usar qualquer dispositivo que reduza a temperatura do combustível. Como o E10 esquenta mais é preciso que a equipe faça adaptações no seu sistema para evitar que a cavitação aconteça.

Mas o que é cavitação? 

A cavitação é um fenômeno causado pela alta temperatura. Quando os fluidos aquecem a pressão pode ser reduzida o que leva a uma vaporização dos mesmos. Em outras palavras, o líquido entra em ebulição. O problema é que essas bolhas são carregadas pelo sistema e se chegarem até um ponto onde a pressão for maior entram em colapso e se tornam líquido novamente. A região onde esse colapso pode acontecer é o ponto chave da questão. A cavitação pode causar danos às bombas. O que poderia explicar porque mesmo tendo combustível o motor Honda do RB18 não conseguia ser alimentado perto do final da corrida. 

A Red Bull ainda não divulgou uma análise real de qual problema causou sua saída da corrida, portanto a teoria segue como teoria. Mas vale lembrar que além do problema com o combustível, Verstappen foi um dos vários pilotos que sofreram com o superaquecimento dos freios durante o GP. 

A grande pergunta que fica é se a equipe conseguiu trabalhar em todas as mudanças necessárias para a resolução completa desses problemas colocando o RB18 em sua melhor versão já neste final de semana para o GP da Arábia Saudita. 

Será que Max Verstappen que perdeu a pole por um décimo para Charles Leclerc no Bahrein vai conseguir marcar o tempo mais rápido em Jeddah? No ano passado, o campeão viu a pole escapar pelos seus dedos ao tocar no muro no último setor do circuito de rua. Em uma daquelas que na opinião pessoal dessa jornalista teria sido uma das voltas classificatórias mais incríveis dos últimos anos. 

_____________________

Aline Fatima tem 23 anos, é formada em jornalismo e escolheu seguir a profissão assistindo sua primeira temporada de F1 em 2008 (sim, é completamente viúva de 2008 e acredita que o Massa merecia o título). Atualmente no Marketing Digital, sonha com o dia de trabalhar com suas duas paixões: Jornalismo e F1.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: